Agência 99
01/07/2022 09:55

Carros elétricos conquistam cada vez mais espaço no mercado brasileiro



Os veículos elétricos conquistam cada dia mais espaço. De acordo com um relatório da International Energy Agency, foram comercializados 6,6 milhões destes veículos no mundo, em 2021. O número representa mais que o dobro de 2020, ano do início da pandemia de Coronavírus, quando foram vendidas 3 milhões de unidades.
No ano passado, a maior parte das vendas aconteceu na China, onde foram comercializados 3,4 milhões de carros elétricos. Por lá, há incentivos e preços mais acessíveis, situações que facilitam o crescimento.
Aqui no Brasil, a participação dos elétricos ainda é pequena. Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) demonstram que estes veículos representam apenas 2,5% do mercado. E isso contando com a ajuda dos híbridos na conta, veículos que possuem a tecnologia, mas também funcionam com combustível fóssil.
Apesar disso, para um mercado que deseja contar com soluções que utilizam energia mais limpa, os números são animadores. Em abril, por exemplo, o crescimento das vendas foi de 25,27%, na comparação com janeiro.
Com tantos benefícios para os usuários, o segmento segue atraindo a atenção do mercado. Em busca de soluções para alavancar a estrutura necessária para o desenvolvimento do setor no País, os investimentos crescem, contando até mesmo com a parceria entre os principais grupos do mercado.
Em abril, por exemplo, empresas do setor de tecnologia e mobilidade urbana se uniram para lançar uma coalizão que pretende democratizar o uso dos veículos elétricos no Brasil. A Aliança pela Mobilidade Sustentável é uma iniciativa liderada pela 99 e é formada ainda por CAOA Chery, Ipiranga, Movida, Raízen, Tupinambá Energia, Unidas e Zletric.
As principais metas da 99 com a parceria são: aumentar a participação dos veículos elétricos entre carros novos para 10% das vendas até 2025 (hoje o índice é de 2%);criar 10 mil estações públicas de carregamento em todo o Brasil até 2025 (atualmente existem cerca de 1.500); lançar, no mínimo, 300 automóveis elétricos da 99 ainda esse ano, com objetivo de chegar a 10 mil até 2025 e adotar a cidade de São Paulo como pólo pioneiro para implementação de programas a fim de inspirar outras regiões do país.
A missão da parceria é contribuir para o desenvolvimento do futuro do transporte urbano tornando as cidades mais verdes e seguras. Para isso, inspira-se em dois dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas, que buscam garantir o acesso a fontes de energia limpas e acessíveis e tornar as cidades e comunidades mais inclusivas e sustentáveis.

União de forças

Para viabilizar o modelo no País, a aliança mira discutir formas para impulsionar toda a infraestrutura necessária à eletrificação da frota brasileira.
Entre as ações necessárias estão a criação de postos públicos de recarga e a diminuição de barreiras para a aquisição dos elétricos. As medidas adotadas devem facilitar o aluguel desses veículos entre motoristas de aplicativo, fornecendo apoio às montadoras e às outras empresas da cadeia, como fornecedores de peças, além do monitoramento da recepção pelo público.
"A adoção de carros elétricos subiu 100% em um ano. Esses automóveis possuem menos impacto ambiental, preservam a saúde das pessoas e também reduzem custos com combustível em até 75%, mas ainda são mais caros do que os convencionais", diz Thiago Hipólito, diretor de DriverLAB da 99. "Construímos a aliança para deixar esses modelos mais acessíveis para os motoristas parceiros e para as pessoas que mais precisam deles".
Atualmente, o recém-chegado iCar, da CAOACherry, está entre os carros elétricos mais baratos do Brasil, por exemplo. O compacto tem autonomia de 282 quilômetros e pode ser carregado em apenas 35 minutos em fontes de recarga rápida. Nas fontes wallbox, leva menos de cinco horas para uma carga completa.

Foco nos parceiros

A Aliança pela Mobilidade Sustentável foi construída a partir do DriverLAB, centro de inovações da 99 focado 100% nos motoristas parceiros. Com pretensões ousadas, o departamento contará nos próximos três anos com aproximadamente R$ 250 milhões em investimento, sendo R$100 milhões em 2022.
O objetivo do DriverLAB é promover mais bem-estar aos parceiros, ampliando ganhos, diminuindo custos e deixando os serviços mais acessíveis. Segundo Thiago Hipólito, o fato da 99 contar com 750 mil motoristas parceiros cadastrados na plataforma fornece grande escala para incentivar a demanda por carros elétricos. Consequentemente, isso facilita negociar melhores margens de custos de produção. "A gente é capaz de girar toda a indústria e favorecer o consumidor, seja ele condutor de app ou não", finaliza.
Para ver esta notícia sem o delay contrate um dos produtos Broadcast e veja todos os conteúdos em tempo real.

MAIS NOTÍCIAS

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: