Agronegócios
17/01/2019 12:23

CBOT: grãos tendem a abrir em alta ampliando ganhos da véspera


São Paulo, 17/01/2019 - Os contratos futuros de grãos devem começar a sessão desta quinta-feira operando no campo positivo na Bolsa de Chicago (CBOT). O mercado continua sem direcionamento próprio e com ausência de sinais que impliquem precificação, em virtude da paralisação parcial do governo norte-americano. Com isso, traders tendem a ampliar os ganhOs da véspera com compras de oportunidades.

Pela quarta semana consecutiva, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) não divulgou relatório semanal de exportações de grãos do país. O site oficial do USDA informa que a publicação dos dados ocorreria hoje às 11h30. Os dados são importantes sinais da demanda pelos grãos norte-americanos e do direcionamento da oferta dos cereais dos Estados Unidos. Não há previsão de normalização das atividades do USDA.

O mercado da soja continua movimento especulativo, com baixo volume de negócios. "A especulação não tem fortes "munições" (notícias) para manter uma tendência específica", diz a consultoria AgResource Co.

Além do mais, assim como estamos ressaltando há semanas, sem os relatórios do USDA o mercado fica sem uma definição de tendência de longo-prazo, enfrentando dificuldades de sustentar as altas ou pressionar as quedas", considera a AgResource Co. Traders continuam na expectativa de sinalizações a respeito da oferta e da demanda dos EUA, especialmente, nas transações que envolvem a China. Não surgiram novos rumores de negociações de soja norte-americana para o país asiático e também não há novidades no diálogo entre os dois países.

No milho, o incremento da produção de etanol norte-americana, que nos EUA, é fabricado principalmente com o grão, sustenta as cotações do cereal. O avanço semanal de 5% na fabricação do combustível pode sinalizar uma menor oferta de milho em grão no mercado nesse período. Entretanto, a desvalorização do petróleo pode limitar os ganhos do cereal, já que diminui a competitividade relativa do biocombustível.

Já o trigo, tende a seguir o movimento do milho. Os dois grãos se movem na mesma direção porque são substitutos diretos na ração animal.

No overnight, o vencimento março da soja subiu 3,75 cents (0,42%), a US$ 8,9825 por bushel. O milho para março ganhou 1,25 cents (0,33%), a US$ 3,7525 por bushel, enquanto igual vencimento do trigo avançou 0,50 cent (0,10%), a US$ 5,1300 por bushel. (Isadora Duarte, isadora.duarte@estadao.com, com informações da Dow Jones Newswires)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos