Agronegócios
09/08/2018 11:26

IBGE: safra de feijão em 2018 será 3,4% menor que o previsto em junho


Rio, 09/08/2018 - O País deve colher 3,3 milhões de toneladas de feijão este ano, uma queda de 0,5% em relação ao resultado de 2017. A estimativa é 3,4% menor que a de junho, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de julho, divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"É a primeira vez este ano que a gente prevê uma safra de feijão menor que a do ano passado. Apesar de ser um pouco menor, não é nada assustador, é uma safra que abastece bem o mercado, é o suficiente para o consumo doméstico", ressaltou Carlos Alfredo Guedes, gerente na Coordenação de Agropecuária do IBGE.

O consumo aparente de feijão no País fica em torno de 3,2 milhões de toneladas, segundo Guedes. Em 2018, problemas climáticos têm reduzido o rendimento médio, que está 2,9% menor do que em 2017. As reduções mais intensas em relação a junho ocorreram na Bahia, Pará e São Paulo.

A primeira safra de feijão deve totalizar 1,6 milhão de toneladas, uma queda de 1,1% em relação à estimativa de junho. Essa safra deve responder por 48,7% da produção total de feijão.

Já a segunda safra foi estimada em 1,2 milhão de toneladas, um decréscimo de 4,6% em relação a junho. Houve redução de 0,5% na área a ser colhida e de 4,1% no rendimento médio. A segunda safra de feijão responde por 35,7% da produção total do grão.

A terceira safra de feijão deve somar 512,3 mil toneladas, queda de 7,5% em relação a junho. A área plantada e a área a ser colhida recuaram 7,2%, enquanto o rendimento médio caiu 0,3%. A produção responde por 15,6% do total da safra de feijão.

Segundo Guedes, os preços pouco atraentes fazem o produtor preferir investir em outras culturas. Além disso, o cultivo do grão tem sido prejudicado pela estiagem. (Daniela Amorim - daniela.amorim@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos