Agronegócios
04/09/2017 14:19

Petrobras e Odebrecht formam comitê para revisar acordo de acionista da Braskem


Rio, 04/09/2017 - A Petrobras tem como meta fechar o quanto antes a venda da sua participação de 47% na petroquímica Braskem e, ao menos até agora, recebeu da sócia Odebrecht a sinalização de que o processo de revisão do acordo de acionista, condição para a venda, vai caminhar a passos largos. O Broadcast apurou que duas reuniões foram realizadas no último mês, mas que a Petrobras ainda não apresentou suas reivindicações.

Os encontros foram, principalmente, para definir os participantes de um comitê especialmente formado para discutir a revisão do acordo e avaliar a contratação de escritórios de advocacia para auxiliar a equipe jurídica dos dois lados. A intenção é fechar o trabalho até o fim do ano. Mas a revisão do acordo é complexa e ainda não é possível calcular se o prazo é factível.

Inicialmente, a estatal considerava que as discussões não estavam entre as prioridades da sócia, alvo de denúncias de participação em esquemas de corrupção no Brasil e países vizinhos, mas teria se surpreendido com a disposição da Odebrecht de avançar na revisão do acordo de acionistas.

A venda da participação na Braskem faz parte do programa de desinvestimento da Petrobras, que pretende se desfazer de US$ 21 bilhões em ativos até o fim do ano que vem. A empresa deixou de fazer sentido para estatal desde que decidiu abandonar o setor petroquímico e focar os investimentos no seu negócio principal: a produção e comércio de petróleo e de seus derivados, como previsto no seu plano estratégico.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, já anunciou que a estatal não vai sair da Braskem até que o acordo de acionistas seja revisto a ponto de refletir a sua condição de co-controladora e de diminuir desvantagem em comparação com a Odebrecht. Com isso, espera valorizar o ativo e receber por ele o valor que considera justo. O atual acordo prevê, por exemplo, que a Odebrecht possui mais assentos que a Petrobras no conselho de administração, além do direito de definir os principais executivos da petroquímica, entre eles, o presidente do conselho de administração. (Fernanda Nunes - Fernanda.nunes@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos