Agronegócios
08/10/2021 08:27

Boi: MPF apura que 10% dos bovinos adquiridos no Pará vieram de áreas com problemas socioambientais


Por Julliana Martins

São Paulo, 08/10/2021 - O Ministério Público Federal do Pará (MPF-PA) divulgou ontem (7) que, de janeiro de 2018 a junho de 2019, 9,95% dos bovinos comercializados no Estado passaram em áreas com alguma desconformidade socioambiental, desde propriedades com áreas de desmatamento ilegal a fazendas com grilagem, trabalho escravo, invasão a unidades de conservação, de terras indígenas ou sem regularização ambiental e fundiária.

O dado faz parte de auditoria realizada no ano passado, referente às operações de 16 empresas signatárias do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) da pecuária, que representam 69% dos animais comercializados no Estado. O MPF-PA informou que, de 42 empresas signatárias, 11 não foram auditadas e outras 15 foram dispensadas da auditoria porque adquiriram menos de 7 mil cabeças de gado no ano passado.

Dentre as empresas signatárias auditadas, os maiores frigoríficos do País tiveram resultados diversos. A Minerva Foods alcançou a avaliação máxima, sendo atestada com 100% de conformidade socioambiental no período, uma melhora com relação ao resultado da auditoria de 2019, que tinha apontado apenas 0,26% de inconformidade. "O resultado da principal auditoria sobre o combate ao desmatamento ilegal na Amazônia mostra que estamos no caminho certo, contribuindo para a pecuária verde, com o compromisso de engajar a cadeia nessa trajetória", disse o diretor de Sustentabilidade da Minerva Foods, Taciano Custódio, em nota.

Já a JBS registrou uma piora na avaliação, de 8,3% de irregularidades em 2019 para 31,99% na auditoria do ano passado. A empresa teve o pior índice entre as 16 avaliadas. A companhia, porém, discordou do método de análise do MPF, que conta com a inclusão de dados do Prodes de 2008, diferentemente do que ocorreu nas auditorias anteriores.

Além da JBS, o Matadouro Planalto registrou 31,1% de inconformidade, contra 12,10% em 2019. Outra importante indústria de carnes, a Frigol, teve uma melhora nos resultados na comparação com as auditorias anteriores. Em 2019, a empresa tinha 17,39% de inconformidade. Em 2019, passou para 18,72%, para então ver o índice cair para 4,12% em 2020.

contato: julliana.martins@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: