Agronegócios
15/10/2020 11:27

IBGE: valor da produção da silvicultura e extração vegetal foi de R$ 20 bi em 2019, queda de 2,7% ante 2018


Por Daniela Amorim

Rio, 15/10/2020 - O valor da produção da silvicultura e da extração vegetal no País foi de R$ 20 bilhões em 2019, uma queda de 2,7% em relação a 2018, interrompendo uma sequência de três anos de crescimento. Os dados são da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) 2019, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O valor da produção da silvicultura superou mais uma vez o da extração vegetal. Em 2019, a silvicultura somou R$ 15,5 bilhões, o correspondente a uma fatia de 77,7% do valor da produção florestal, apesar da queda de 5,0% em relação a 2018, após três anos consecutivos de crescimento.

Já a participação da extração vegetal, que corresponde à coleta de produtos em matas e florestas nativas, totalizou R$ 4,4 bilhões, com alta de 6,4% em relação a 2018, o equivalente a 22,3% de todo o valor de produção. Sete dos nove grupos de produtos que compõem a exploração extrativista tiveram aumento no valor de produção no ano passado.

Os produtos madeireiros representaram 64,5% da extração vegetal, seguidos pelos alimentícios (27,4%), ceras (5,3%) e oleaginosas (2,3%). Entre os produtos extrativos não madeireiros, os destaques foram a carnaúba em pó, com alta de 15,8% no valor de produção ante 2018, e o pinhão, com avanço de 13,6%.

A madeira totalizou 97,3% do valor de produção da silvicultura. Houve redução de 5,3% no valor da produção dos produtos madeireiros da silvicultura em relação a 2018, mas foi registrado um aumento de 8,8% desses produtos na extração vegetal.

“Ao longo dos últimos anos, a exploração extrativista de madeira vinha perdendo espaço no País, sendo gradativamente substituída pela originada em florestas cultivadas. Em 2019, entretanto, não houve acréscimo significativo da área de florestas plantadas, e foi detectada, ainda, retração no setor de silvicultura”, ressaltou o IBGE.

Segundo o órgão, a próximas leituras da PEVS revelarão se o movimento observado foi pontual ou se representa uma tendência. “Ao contrário do ano anterior, em 2019 observou-se aumento da produção dos principais produtos madeireiros do extrativismo, com exceção da lenha. A madeira em tora, responsável pela maior participação, em termos de valor, do grupo, registrou incremento de volume de 3,6%, alcançando 12,0 milhões de metros cúbicos; consequentemente, apresentou aumento do valor da produção de 10,8%, totalizando R$ 2,9 bilhões”, acrescentou o IBGE.

A área de floresta plantada do País somou 10 milhões de hectares no ano passado. A produção de eucalipto para a indústria de papel e celulose ocupou 7,6 milhões de hectares, enquanto o pinus se estenderam por 2 milhões de hectares, e as outras espécies dividiram 387 mil hectares.

O Sudeste concentrava 42,6% das áreas de eucalipto, enquanto o Sul detinha 51,6% das florestas de pinus. As duas regiões foram responsáveis por 63,8% do valor de produção da produção florestal, principalmente devido às suas florestas plantadas.

Minas Gerais liderou o ranking de maior valor da produção, com R$ 4,4 bilhões, o equivalente a 28,3% do valor nacional da silvicultura, seguido pelo Paraná (R$ 3,1 bilhões). O município de João Pinheiro (MG) teve o maior valor da produção em 2019, de R$ 263,7 milhões.

Contato: daniela.amorim@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos