Agronegócios
25/10/2019 14:58

Café: Companhia Cacique investe US$ 60 mi em nova fábrica de solúvel em Linhares (ES)


São Paulo, 25/10/2019 - A Companhia Cacique Café Solúvel lançou a pedra fundamental de sua segunda fábrica, em Linhares (ES), nesta sexta-feira. A empresa, líder na produção e exportação de café solúvel no País, investirá cerca de US$ 60 milhões nesta nova planta industrial, informou em comunicado o diretor Comercial da Cacique, Pedro Guimarães. A primeira unidade fabril foi inaugurada em 1959 na cidade de Londrina (PR) por Horácio Sabino Coimbra. É considerada uma das maiores indústrias de produção de café solúvel do mundo em uma única planta.

A previsão é que a primeira etapa da nova fábrica seja concluída no primeiro trimestre de 2021. "O acordo entre Mercosul e União Europeia, com redução da taxa de importação de 9% para zero, a ser realizada, gradativamente, em quatro anos, nos fez acelerar os investimentos. A União Europeia é um mercado extremamente importante e o segundo principal destino das exportações de nossa empresa. A previsão é que o mercado brasileiro de café solúvel aumente em 35% suas exportações para o continente europeu nos próximos cinco anos", comentou Guimarães.

A fábrica será construída numa área totalmente estratégica. "Vamos construir em um Estado que é considerado o maior produtor de café conilon do País, principal matéria-prima para a produção do café solúvel. Além da geração de 300 novos empregos durante a fase de construção, geraremos 800 novos empregos, diretos e indiretos, quando estivermos operando em 2021 com capacidade de 12 mil toneladas de café solúvel ao ano", explicou.

As expectativas da Cacique são otimistas para este ano. "Pretendemos aumentar em 4% o volume de vendas, fechando o ano com 31,3 mil toneladas/ano", ressalta o diretor Comercial. Lembrando que quase 100% da produção da Cacique é exportada.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: