Agronegócios
28/11/2017 14:29

Adama/Gutierrez: Mercado de defensivos no Brasil deve cair 10,6% em 2017, para US$ 8,5 bi


São Paulo, 28/11/2017 - O mercado de defensivos no Brasil deve recuar por mais um ano, após dois anos de queda nas vendas, disse há pouco o presidente da Adama Brasil, Rodrigo Gutierrez. Em 2017, o faturamento do setor deve recuar 10,6%, para US$ 8,5 bilhões, ante US% 9,5 bilhões no ano passado, quando o mercado recuou 1%.

Dentre as razões apontadas para a estimativa, foi apontado o menor estoque de defensivos com a rede de distribuição de insumos, a contínua entrada de produtos ilegais no País e vendas menores de alguns tipos de defensivos, decorrentes da expansão do uso de variedades de soja tolerantes a lagartas. "Pela primeira vez em muitos anos, o estoque de entrada em 2018 será significativamente menor que o verificado no começo de 2017", disse Gutierrez em evento realizado em São Paulo, sem detalhar o volume esperado.

Também em 2017, a Adama prevê crescer 2%, com participação de mercado de aproximadamente 5,1%, disse o presidente da companhia. Segundo o executivo, a previsão inicial era de que a receita da empresa aumentasse 10% neste ano, mas o atraso na liberação de registro para dois defensivos da companhia, pelo governo federal, impediu vendas maiores. (Clarice Couto - clarice.couto@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos