Agronegócios
09/10/2018 10:25

CBOT: milho e trigo devem abrir em alta; soja tende a iniciar em baixa


São Paulo, 09/10/2018 - Os contratos futuros de grãos devem começar o pregão operando em direções distintas nesta terça-feira na Bolsa de Chicago (CBOT). Traders devem operar com cautela à espera do relatório semanal de acompanhamento de safra, que será divulgado às 17h pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Comumente, os dados são divulgados às segundas-feiras, no entanto, por causa de um feriado nacional (Dia de Colombo, celebrado ontem), o relatório foi adiado para hoje.

A soja deve abrir em queda, pressionada por uma estimativa de safra cheia nos EUA. Segundo analistas, o mercado continua atento às condições climáticas do cinturão agrícola que podem desacelerar o ritmo de colheita. Investidores também ajustam posições à espera das estimativas oficiais de estoque e de produção global da oleaginosa, a serem divulgadas na quinta-feira pelo USDA.

Já o milho tende a abrir em leve alta. A possibilidade do presidente Donald Trump anunciar, nesta terça-feira, um incremento de 5% no volume de etanol permitido na mistura da gasolina pode influenciar o movimento altista dos preços do cereal. Nos Estados Unidos, cerca de um terço da produção de milho é destinada ao processamento do biocombustível. Volume esse que pode aumentar, se a política for aprovada, permitindo a expansão dos atuais 10% para 15% de etanol na gasolina. Em compensação, a medida é negativa para os preços do petróleo e as perdas no combustível podem limitar os ganhos nas cotações de milho neste pregão. Do lado dos fundamentos baixistas, a previsão de safra cheia também pesa sobre os preços do cereal.

Na mesma direção, o trigo deve abrir em alta, acompanhando o desempenho do milho. Os dois cereais estabelecem relação de preço, pois são substitutos diretos na ração animal. Os ganhos podem ser limitados pelas chuvas favoráveis no sul das Grandes Planícies dos EUA. A região é responsável por boa parte da safra de inverno do país. Além disso, a valorização do dólar no exterior também pressiona os preços do cereal, pois torna commodities produzidas nos EUA menos atraentes para compradores estrangeiros.

No overnight, o vencimento novembro da soja caiu 3,25 cents (0,37%), a US$ 8,6650 por bushel. O milho para dezembro subiu 0,25 cent (0,07%), a US$ 3,6675 por bushel, enquanto igual vencimento do trigo ganhou 2,25 cents (0,44%), a US$ 5,1625 por bushel. (Isadora Duarte, isadora.duarte@estadao.com, com informações da Dow Jones Newswires)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos