Agronegócios
10/07/2020 10:38

Cacau/Barry Callebaut: receita cai 4,4% no acumulado do ano fiscal 2019/20, para US$ 5,56 bi


Por Julliana Martins

São Paulo, 10/07/2020 - A fabricante suíça de chocolates Barry Callebaut informou nesta sexta-feira que a receita de vendas da companhia caiu 4,4% nos primeiros nove meses do ano fiscal 2019/20, encerrado em 31 de maio, na comparação com igual período do ano fiscal anterior. A receita da companhia atingiu 5,24 bilhões de francos suíços (cerca de US$ 5,56 bilhões) ante 5,48 bilhões de francos suíços obtidos no mesmo período do ano fiscal 2018/19.

O volume de vendas no período até o final de maio caiu 1,3%, para 1,568 milhão de toneladas. A retração se deu, de acordo com comunicado emitido pela empresa, em virtude dos efeitos da pandemia do novo coronavírus na comercialização do terceiro trimestre, quando houve uma diminuição de 14,3% na venda da companhia. A comercialização do ramo de chocolates da empresa caiu 14,1% no terceiro trimestre, o que levou a uma retração de 1,4% no acumulado. As vendas de produtos gourmet e especiais reduziram 12,3% em volume (excluindo bebidas) nos primeiros nove meses do ano fiscal. Na divisão global de cacau, o volume de vendas caiu 0,7% no acumulado, mas 14,6% no terceiro trimestre. Em receita, a divisão apresentou uma retração de 4,5%.

Na região compreendida entre Europa, Oriente Médio e África, principal mercado da empresa, o recuo da receita foi de 5,3%, para 2,209 bilhões de francos suíços, e de 2,3% em volume, para 715.753 toneladas. Na região Ásia-Pacífico, a única em que as vendas apresentaram alta no acumulado do ano fiscal, as vendas cresceram 11,1% em volume, para 97.228 toneladas e 2,3% em receita para 310,4 milhões de francos suíços. Isso ocorreu, segundo a companhia, por causa da rápida recuperação econômica da China e do Japão após a pandemia. Nas Américas, o volume vendido até 31 de maio foi 2,6% menor do que no mesmo período do ano fiscal anterior - para 413.234 toneladas - e 4,2% inferior em receita, para 1,314 bilhão de francos suíços.

A Barry Callebaut também afirmou no comunicado que as operações não foram interrompidas por causa da pandemia, mas que medidas de segurança foram adotadas para manter a saúde dos seus funcionários. Contudo, as medidas de isolamento social e os bloqueios em todo o mundo afetaram o volume de vendas no terceiro trimestre, minimizando os bons resultados obtidos nos primeiros seis meses do ano fiscal 2019/20, disse em nota o CEO da Barry Callebaut, Antoine de Saint-Affrique. Ele afirmou, ainda, que está confiante em uma rápida recuperação nos próximos meses, tendo em vista a reabertura gradual dos países, mas admitiu que "a pandemia do covid-19 é um grande evento imprevisto que terá um impacto negativo no exercício fiscal de 2019/20".

Contato: julliana.martins@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos