Agronegócios
22/11/2017 16:12

Borracha: CNA defende alíquota de 14% na importação


São Paulo, 22/11/2017 - A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) pediu o apoio de deputados e senadores para que seja elevado o imposto de importação da borracha natural. Em nota, a entidade diz querer o retorno da alíquota de 14% e a inclusão do produto na Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (LETEC). Em 2016 a Câmara de Comércio Exterior (Camex) elevou o imposto de 4% para 14% por um ano. A taxa voltou a ser de 4%. A CNA defende a elevação novamente "para evitar prejuízos aos seringueiros com a entrada da borracha importada, principalmente da Ásia".

Na nota, o presidente da Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da CNA, Walter Rezende, disse que os investimentos feitos pelos heveicultores (que cultivam seringueiras) levam, em média, sete anos para dar retorno. Por isso, prega, a alíquota deve ser permanente. Ele lista, ainda, as exigências trabalhistas e ambientais no País. "É uma concorrência desleal porque os preços asiáticos são muito baixos. Sem o aumento do imposto, isso vai incentivar a importação e reduzir os preços no mercado interno. A margem do produtor cai e a expansão da produção brasileira fica limitada", afirmou Rezende.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos