Agronegócios
08/11/2018 11:27

IBGE/Guedes: safra 2019 será suficiente para que não haja grandes flutuações de preços


Rio, 08/11/2018 - O primeiro prognóstico para a produção agrícola brasileira de 2019 indica uma "boa" safra, em volume suficiente para que não haja flutuações de preços relevantes, avaliou Carlos Alfredo Guedes, gerente da Coordenação de Agropecuária do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A expectativa é uma safra bem parecida com 2018, que tenha patamares que não tenha grandes flutuações (de preços). A menos que ocorram aspectos climáticos que a gente não conseguiu prever ainda", afirmou Guedes.

A safra agrícola de 2019 deve totalizar 226,7 milhões de toneladas, uma ligeira queda de 0,2% em relação à estimativa de 2018, o equivalente a 470 mil toneladas a menos, segundo os dados do primeiro Prognóstico para a Safra Agrícola divulgado hoje pelo IBGE. Em 2018, a safra somou 227,2 milhões de toneladas, 5,6% a menos o obtido em 2017, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de outubro.

"Depende muito das condições climáticas, mas se elas forem dentro das normalidades, geralmente o primeiro prognóstico é mais modesto sim. As expectativas vão se ajustando ao longo do ano", lembrou Guedes.

A produção nacional de soja será 1,0% menor em 2019 do que o recorde de 117,7 milhões de toneladas obtido em 2018. "É uma queda em cima de uma safra recorde", ponderou Guedes. A primeira estimativa de produção de soja para 2019 soma 116,6 milhões de toneladas, com aumento de 1,1% na área a ser plantada e alta de 1,3% na área a ser colhida, mas retração de 2,3% no rendimento médio estimado.

"Os Estados do Sul têm estimativa de aumento na produção de soja. E os Estados que tiveram maior produção este ano têm redução na expectativa. Aumentou a área plantada, então é o rendimento que está caindo", contou Guedes. "A expectativa é que a soja não tenha rendimento tão alto quanto em 2018. Os Estados que tiveram rendimento muito alto, este ano estão trazendo rendimento mais para dentro de uma média. É um primeiro prognóstico, pode ser reavaliado", completou.

No caso da safra de algodão herbáceo, a produção em 2019 será 2,8% menor que a de 2018, embora seja estimado em aumento de área plantada de 6,7%. A previsão de rendimento do algodão está 8,9% menor em 2019. "O algodão teve recorde de produtividade este ano, então a gente espera que diminua um pouco a produtividade", explicou o pesquisador do IBGE.

Quanto ao milho, a produção deve ter uma alta de 2,6% em 2019 ante 2018. Segundo Guedes, o preço atraente do grão e o plantio da soja efetivado na época certa favorecem a expectativa para a segunda safra de milho de 2019.

O primeiro prognóstico de milho em grão estima uma produção de 83,8 milhões de toneladas, 2,2 milhões de toneladas a mais que em 2018. Para a 1ª safra de milho, a previsão é de 25,4 milhões de toneladas, 1,9% menor que em 2018. Já o milho 2ª safra tem estimativa de produção de 58,4 milhões de toneladas, um crescimento de 2,9%.

A produção de arroz terá recuo de 4,2% em 2019, enquanto a safra de feijão será 0,3% maior que a deste ano.

(Daniela Amorim - daniela.amorim@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos