Economia & Mercados
10/12/2019 14:04

Azul/Rodgerson: Vamos investir R$ 6 bi por ano no Brasil nos próximos 3 anos


Por Aline Bronzati

São Paulo, 10/12/2019 - O CEO da Azul, John Rodgerson, afirmou que a companhia aérea pretende manter investimento anual de R$ 6 bilhões nos próximos dois ou três anos para continuar sua trajetória de expansão no Brasil. Para 2020, a empresa, conforme o executivo, quer quebrar novos recordes com a adição de mais aeronaves em sua malha e inaugurar entre seis e oito novas cidades, sendo que uma das novas rotas será para o exterior.

Com cerca de 28 milhões de clientes transportados ao fim deste ano, o objetivo da Azul é ultrapassar a marca de 30 milhões de clientes transportados em 2020. “Temos 31 novas aeronaves chegando. Vamos receber duas por mês pelo menos. Cada aeronave tem mais assento e vai permitir a Azul voar mais horas por dia. Com mais assento, teremos muito mais oferta no Brasil, que precisa porque foram muitos anos sem muita oferta”, avaliou Rodgerson, em conversa com a imprensa, nesta tarde.

A Azul deve alcançar, de acordo com o executivo, quase mil voos por dia em dezembro. Ele lembrou, que no auge, a Varig tinha 250 voos diários. Com mais voos, a empresa, conforme Rodgerson, seguirá contratando mais no próximo ano. Em 2019, foram 2 mil novas pessoas, sendo 800 ex-funcionários da Avianca, em recuperação judicial.

Durante encontro de fim de ano com jornalistas, o presidente da Azul lamentou o fato de a companhia não ter conseguido comprar a concorrente Avianca, que deixou de operar no Brasil. “Temos uma grande tristeza em relação à Avianca. Depois se não termos conseguido comprá-la, contratamos 800 dos funcionários da Avianca, que perderam emprego e não eram culpa delas, e entramos na ponte aérea”, relembrou o CEO da Azul.

Segundo ele, o foco da Azul é doméstico. “Há muitos brasileiros que já foram para Miami e não conhecem Foz do Iguaçu. É uma vergonha. Queremos mudar isso. Nosso foco é doméstico. É o Brasil”, ressaltou Rodgerson, acrescentando que a companhia que aproveitar o atual momento do Brasil. “Queremos ajudar o Brasil a decolar”, acrescentou.

Ele destacou ainda que a Azul deve investir mais de R$ 120 milhões em seu novo hangar, que será o maior da América Latina e contará com 800 pessoas trabalhando no local. A expectativa, conforme o CEO da companhia, é de que o novo espaço fique pronto no primeiro trimestre de 2020.

Sobre a oferta de wi-fi nos voos da Azul, Rodgerson disse que a Azul vai testar o serviço amanhã em um voo comercial. A partir do ano que vem, segundo ele, as aeronaves já saíram de fábrica com o serviço de wi-fi a bordo. Os executivos da Azul não revelaram, contudo, o preço que será cobrado aos clientes pelo uso do serviço de internet móvel.

Contato: aline.bronzati@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos