Economia & Mercados
10/07/2018 14:58

Petrobras vai priorizar novos empreendimentos em energia renovável, diz diretor


Com um pouco de atraso em relação a outras petroleiras, a Petrobras anunciou nesta terça-feira, 11, que vai intensificar seus investimentos nas energias renováveis solar e eólica, com foco em novos empreendimentos ("greenfields") e inicialmente utilizando áreas que já são da empresa no Nordeste. O novo negócio será feito em parceira com a francesa Total, com quem assinou memorando de entendimento para buscar oportunidades em energia limpa onshore.

"Uma das particularidades da eólica é ter área física para instalar equipamentos. A tecnologia a Total já tem, está passos à frente da Petrobras, e nós temos áreas no Brasil, vamos casar essas áreas com a tecnologia", disse em teleconferência nesta terça-feira o diretor de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão, Nelson Silva. A ideia é criar uma joint venture para investir no setor, em participação ainda não definida pelas companhias.

Para empreendimentos offshore, que também estão na mira da Petrobras, segundo o executivo, a estatal poderá procurar outros parceiros.

Silva informou que no próximo Plano de Negócios da companhia, para o período 2019-2023, esse segmento terá uma ênfase muito maior do que no plano vigente, que já foi um avanço em relação ao plano anterior, quando a Petrobras se concentrou na sua recuperação financeira.

O diretor negou que a estatal tenha dado um passo atrás em relação à corrida das petroleiras na transição para uma economia de baixo carbono. "Não demos um passo atrás, explicamos que os primeiros dois anos do Plano de Negócios seriam concentrados na área de óleo e gás, que tínhamos uma situação financeira mais difícil", disse.

De acordo com o executivo, ainda não há um orçamento destinado ao novo negócio, mas "à medida que forem identificadas oportunidades de investimento colocaremos no orçamento", informou.

Silva negou que a empresa esteja avaliando as Sociedades de Propósito Específico (SPEs) do setor eólico que poderão ser vendidas pela Eletrobras. "Não estão no nosso radar", disse. Mas o executivo não descartou participar dos leilões de energia elétrica do governo, como o de entrega para energia em 2024 (A-6), previsto para o mês que vem. "É uma das hipóteses, no caso de identificarmos oportunidades poderíamos participar", avaliou.

Atualmente, a Petrobras tem apenas 104 MW instalados em quatro parques eólicos, ante 13 gigawatts de capacidade eólica instalada em todo País. A energia solar ainda está na fase de pesquisa e desenvolvimento com uma planta de 1,1 MW no Rio Grande do Norte, contra cerca de 1,1 GW instalados no Brasil.

O forte da empresa na área de geração de energia elétrica sempre foi por meio de termelétricas a óleo ou gás natural, onde atua desde os anos 2000, por conta do racionamento de energia ocorrido no início da década. A capacidade total de geração elétrica das usinas termelétricas da Petrobras é superior a 6 GW.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos