Economia & Mercados
07/12/2023 17:43

BB Consórcios tem lucro de R$ 1 bi nos dez primeiros meses do ano, recorde histórico


Nos dez primeiros meses de 2023, a BB Consórcios, administradora de consórcios que pertence ao Banco do Brasil, registrou lucro líquido de R$ 1 bilhão, um crescimento de 28,8% em relação ao mesmo período do ano passado e recorde para o intervalo.

A companhia disponibilizou 37,5% mais crédito que no mesmo intervalo de 2022, e chegou a R$ 2,09 bilhões em receita de prestação de serviços, um aumento de 28,6% na mesma base de comparação. Em outubro, eram 1,85 milhão de participantes ativos.

De acordo com o BB, de janeiro a outubro, foram registradas 312,9 mil contemplações de bens nas mais diversas modalidades que a companhia comercializa, um aumento de 21,7% em um ano. A BB Consórcios é a líder de mercado entre as administradoras ligadas a bancos.

Também houve crescimento de 21,3% em relação ao ano passado nos negócios feitos por canais digitais. "Ampliamos as funcionalidades do consórcio no aplicativo BB, priorizando a agilidade, a segurança e a comodidade no autoatendimento", disse em nota o presidente da BB Consórcios, Marcel Kitamura.

O setor de consórcios tem crescido em ritmo acelerado desde o ano passado. Com o aumento da taxa Selic, os clientes têm preferido pagar pelas cartas enquanto os juros cobrados em linhas como o crédito imobiliário e o financiamento de automóveis permanecem altos.

O BB destaca ainda a venda de consórcios que permitem a aquisição de bens voltados para a eficiência no uso de recursos naturais e baixa emissão de carbono, como nos 'Grupos Verdes', que dobraram de tamanho em relação a outubro do ano passado.

É possível adquirir cartas para veículos elétricos e sistemas fotovoltaicos, além de sistemas de geração de energia eólica, equipamentos para captação e reúso de água e equipamentos para reciclagem.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2024 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso