Economia & Mercados
22/02/2021 14:21

Exclusivo/PwC:Dobra número de instituições financeiras que veem valor na uberização do trabalho


Por Karla Spotorno

São Paulo, 22/02/2021 - Dobrou o número de instituições financeiras que acreditam que a "uberização" do trabalho - ou seja, o uso de plataformas de serviços e de trabalhadores da "gig economy", chamada de economia do "bico" ou sob demanda em português - pode gerar grande valor para os seus negócios. Pesquisa feita pela PwC com executivos seniores em 15 países, obtida com exclusividade pelo Broadcast, aponta que 80% das organizações acreditam na eficiência e na geração de valor com o uso desses trabalhadores "free-lancers". Na pesquisa anterior, feita em 2018, o porcentual era de 39%.

Mais da metade (52%) desses entrevistados afirmaram que esperam ter mais trabalhadores de plataformas de serviços dentro de três ou cinco anos. Atualmente, esses profissionais respondem por apenas 5% da força de trabalho das instituições que participaram da pesquisa. Outros 9% são contratados por projeto (empreitada) ou tempo determinado. O restante é composto por empregados diretos das empresas seja em contratos de tempo integral ou parcial.

A PwC avalia que esses profissionais sem qualquer vínculo empregatício irão responder por algo entre 15% e 20% da força de trabalho no setor financeiro em até cinco anos. Isso acontecerá devido "à contínua pressão por custos mais baixos e a necessidade de acessar talentos com habilidades digitais".

A pesquisa da PwC também mostrou que 72% das instituições planejam implementar medidas de produtividade adicionais, em comparação com 53% em 2018. Apenas 14% interromperam esses esforços temporariamente devido à Covid-19. A digitalização de processos é uma das ferramentas para aumentar a produtividade, somada a treinamento em habilidades de gestão e comportamento. "Não são apenas as habilidades técnicas que os trabalhadores precisam, mas também o treinamento em novos 'soft skills', como métodos ágeis e técnicas avançadas de colaboração", diz nota da PwC. "As empresas precisam de novas capacidades ao passo que as soluções tecnológicas envolvem maior colaboração com terceiros."

Além do maior apelo da "gig-economy", as instituições financeiras também apontaram a busca de soluções na web ("crowd-sourcing") como uma forma de aumentar a produtividade. Segundo o estudo, essa forma de buscar e contratar serviços foi citada por 50% dos respondentes em 2020, mais do que o dobro (21%) das citações na edição anterior da pesquisa.

Entre as instituições participantes da pesquisa que têm algum programa de mudanças na gestão do negócio, 60% investiram no treinamento especializado de seus funcionários e 51% ofereceram mentores a fim de desenvolver e também reter os melhores talentos. O estudo da consultoria ainda mostrou que cerca de 80% das empresas pesquisadas adotaram ferramentas de inteligência artificial (54%) e RPA (Robotic Process Automation, na sigla em inglês) (37%), entre outras, para aumentar a produtividade. "90% dos entrevistados afirmaram que o uso dessas ferramentas aumentou a produtividade", diz a PWC.

O estudo "Produtividade 2021 no Setor Financeiro" entrevistou 502 executivos seniores no setor durante a pandemia de covid-19. O Brasil está entre os 15 países participantes.

Contato: karla.spotorno@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos