Economia & Mercados
05/02/2021 15:00

Especial: riscos à estabilidade financeira nos EUA entram em foco com 'caso GameStop'


Por Iander Porcella

São Paulo, 05/02/2021 - A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos realizará neste mês uma audiência para discutir a volatilidade recente nos mercados acionários americanos. Congressistas começaram a pressionar a Securities and Exchange Commission (SEC), equivalente à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a tomar medidas para coibir a manipulação de mercado. A secretária do Tesouro, Janet Yellen, convocou uma reunião com os órgãos reguladores. No centro do debate está o "caso GameStop" e seus possíveis efeitos sobre a estabilidade financeira do país. Na última semana de janeiro, usuários da rede social Reddit decidiram alavancar o preço de ações com pouco valor de mercado e, dessa forma, gerar perdas para grandes fundos de hedge que apostavam na queda dos papéis.

"Os mercados mostram sinais de estresse enquanto os investidores questionam a estabilidade do sistema", escreveu o analista Boris Schlossberg, da gestora BK Asset Management, logo após o auge da especulação. Para o profissional, alguns participantes do mercado começaram a se preocupar com a perspectiva de "risco sistêmico" à estabilidade financeira.

Embora as ações da GameStop tenham recuado na primeira semana de fevereiro - após dispararem mais de 400% na anterior - o debate continua. Os especuladores encontraram um novo alvo: a prata, cujo preço subiu ao maior nível desde 2012 na última segunda-feira.

"A horda do varejo não vai a lugar nenhum", afirma o estrategista global Michael Every, do Rabobank, em referência aos pequenos investidores que impactaram as bolsas de Nova York. "Eles foram derrotados aqui, mas podem se voltar a qualquer ação ou ativo que escolherem, forçando corretoras ou reguladores a encerrar as negociações", acrescenta o profissional do banco holandês.

Na visão do NatWest Markets, braço de investimento do NatWest Group, parece haver uma concordância bipartidária em Washington sobre a necessidade de uma investigação detalhada da dinâmica de mercado que permitiu o short squeeze da última semana de janeiro. "Mesmo depois que a poeira assenta e as corretoras congelam a compra de nomes específicos, parece que o mergulho profundo do governo nas práticas do mercado de ações está apenas começando", dizem os analistas do banco britânico.

O evento no mercado conhecido como short squeeze ocorre quando um ativo dá um salto e força investidores que apostam em sua queda a comprá-lo, para evitar uma perda maior. Os grandes fundos de hedge que foram impactados pela especulação, como o Melvin Capital, haviam "alugado" papéis como os da GameStop. O objetivo era vender essas ações no mercado e comprá-las de volta por um preço menor, embolsando a diferença antes de devolver os ativos ao dono original. No entanto, com a disparda nas ações, causada pela demanda dos usuários do Reddit, mais especificamente do fórum WallStreetBets, esses fundos se viram obrigados a recomprá-las o mais rápido para zerar posição e evitar mais prejuízos - o que alimentou ainda mais a alta de preços, como uma bola de neve.

"Estou profundamente preocupada com a maneira como essas movimentações semelhantes a um cassino do valor dos papéis da GameStop e de outras companhias são um novo exemplo do tipo de jogo que interfere na função justa, ordeira e eficiente do mercado", escreveu a senadora democrata Elizabeth Warren em carta enviada à SEC na sexta-feira, 29.

Outras figuras importantes da política americana também se manifestaram. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, afirmou que o Congresso fará parte do "escrutínio" da situação gerada pelos movimentos especulativos. "Todos nós a revisaremos", declarou a democrata na quinta-feira, 28.

Líder da maioria no Senado, Chuck Schumer defendeu que as investigações ocorram o mais rápido possível. "Não podemos ter um mercado de ações onde os jogadores também são árbitros", escreveu em sua conta oficial no Twitter. Na quinta-feira, 28, o senador do Partido Democrata Sherrod Brown anunciou que o Comitê Bancário da Casa planeja uma audiência sobre "o atual estado do mercado acionário".

A Casa Branca fez poucos comentários inicialmente. Nesta quinta-feira, 4, porém, Janet Yellen se reuniu com representantes de órgãos reguladores do país. Após o encontro, a secretária do Tesouro afirmou, em comunicado, que a SEC está avaliando se as ações dos operadores do Reddit são consistentes com a "proteção de investidores" e um mercado justo.

Corretoras no foco

Quando a alta das ações de empresas como a GameStop e a AMC começou a chamar atenção, a corretora Robinhood, que cresceu entre pequenos investidores por não cobrar taxas de quem opera em sua plataforma, decidiu suspender as negociações com os papéis. Um dia depois, as restrições foram reduzidas. A própria Robinhood precisou de uma injeção de liquidez de US$ 3,4 bilhões e foi criticada por parlamentares tão distantes no espectro político americano quanto a deputada Alexandria Ocasio-Cortez (AOC), ícone da ala mais à esquerda do Partido Democrata, e o republicano Ted Cruz.

"Isso é inaceitável", escreveu AOC no Twitter na quinta-feira, 28. "Agora precisamos saber mais sobre a decisão da @RobinhoodApp de impedir que investidores de varejo comprem ações enquanto os fundos de hedge podem negociar livremente as ações como acharem adequado", afirmou a deputada, que é membro do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara.

"Concordo plenamente", escreveu o senador republicano Ted Cruz, ao compartilhar o tuíte de AOC. A deputada respondeu, mas deixou evidente a polarização política. "Estou feliz em trabalhar com os republicanos nesta questão em que há um terreno comum, mas você quase me assassinou há 3 semanas, então pode ficar de fora", criticou a parlamentar, em referência à invasão do Capitólio por apoiadores do ex-presidente Donald Trump, no dia 6 de janeiro, enquanto republicanos como Ted Cruz tentavam reverter a vitória de Joe Biden na eleição presidencial.

Na carta à SEC, Elizabeth Warren, além de se dizer preocupada com a volatilidade nas ações, também cobrou uma maior fiscalização sobre as instituições financeiras. Para ela, as flutuações mostraram como os grandes fundos de hedge agem sem "consideração" por empresas, trabalhadores e a economia.

Rival da Robinhood, a Webull também paralisou as negociações com papéis dessas empresas, mas por apenas algumas horas. De acordo com o CEO, Anthony Denier, a decisão foi tomada após recomendação da empresa de compensação terceirizada que presta serviços à corretora, mas não deve virar regra. "Essa foi uma decisão de gerenciamento de risco."

A SEC, que regula o mercado de ações e de opções nos EUA, divulgou dois comunicados. No mais recente, na sexta-feira, 29, informou que "monitora e avalia a volatilidade de preços extrema de certas ações" nos últimos dias.

Federal Reserve se pronuncia

"Os sinais subjacentes de riscos de estabilidade financeira são difíceis de ignorar", afirmaram na sexta-feira, 29, os analistas do BMO Capital Markets Ian Lyngen e Ben Jeffery, em referência à forma como o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) havia abordado o caso GameStop. Na quarta-feira, 27, o presidente da instituição, Jerome Powell, evitou responder diretamente a uma questão sobre os movimentos especulativos. Naquele dia, auge do impacto da volatilidade nos mercados, ele realizava uma coletiva de imprensa após a decisão de juros do Fed.

Desde então, diversos dirigentes da autoridade monetária se manifestaram. O presidente da distrital de Minneapolis, Neel Kashkari, disse que não está preocupado com o movimento especulativo. A chefe da regional de São Francisco, Mary Daly, afirmou que a política do Fed não é o único fator que impacta o mercado acionário. O líder da distrital de Dallas, Robert Kaplan, por sua vez, declarou que a instabilidade nas ações tem relação com a alta liquidez, mas disse não ver risco sistêmico.

"Com as autoridades do Fed em grande parte silenciosas sobre o assunto, a resposta dos legisladores em Washington D.C. oferecerá o único insight potencial quanto à preocupação coletiva oficial com relação à nova dinâmica", disseram os analistas do BMO.

Contato: iander.porcella@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: