Economia & Mercados
30/11/2017 15:24

PDG realiza assembleia para votar plano de recuperação judicial


O advogado responsável pelo plano de recuperação judicial da PDG Realty, Eduardo Munhoz, afirmou que a proposta que será submetida a votação na tarde desta quinta-feira, 30, durante a assembleia resultou de negociações com os principais credores e permitem uma solução organizada a todas as partes envolvidas.

"Esse é um processo complexo, mas a companhia tem convicção de que foi capaz de construir, junto aos principais credores, o melhor que pode ser dentro do quadro em que a companhia se encontra", discursou, na abertura da assembleia. "O plano propiciará aos credores o máximo de recuperação dos respectivos créditos", o que não ocorreria em caso de falência e liquidação da incorporadora, frisou.

Munhoz ressaltou também que os empreendimentos imobiliários sob o regime de patrimônio de afetação (instrumento jurídico que impede a mistura entre os ativos e passivos de diferentes condomínios) ficaram fora do processo de recuperação judicial, como desejado pelos bancos. A PDG tem 19 obras a serem concluídas, das quais apenas três permaneceram dentro do processo por não contarem com patrimônio afetado. Os demais 16 projetos ficaram de fora.

A assembleia geral de credores da PDG Realty começou por volta das 14h20. O administrador do processo deu prazo limite de dois minutos para manifestações dos credores, com direito a resposta de um minuto para os representantes da empresa.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos