Economia & Mercados
30/11/2020 15:42

Da guerra das maquininhas ao Pix, pagamentos se transformam, rumo aos R$ 2 tri no País


Por Aline Bronzati

São Paulo, 30/11/2020 - O mercado de pagamentos brasileiro deve encerrar 2020 próximo à marca inédita dos R$ 2 trilhões. A pandemia acelerou a revolução digital - e fez com que os números do setor ganhassem impulso inédito. Nesse cenário, o Pix roubou a cena e assumiu posição de destaque, ocupada até então pela guerra das maquininhas.

O potencial de expansão e as mudanças tecnológicas que aqueceram a disputa no setor de pagamentos - que se tornou um verdadeiro ringue entre novatos e gigantes até então estabelecidos - são abordados no livro "Payments 4.0: as forças que estão transformando o mercado brasileiro", de Edson Luiz dos Santos e Luis Filipe Cavalcanti, dois grandes especialistas neste segmento.

Com informações sobre o atual momento do setor e uma retrospectiva dos últimos anos, a obra sinaliza para o futuro, com um desenho sobre como será o mundo dos pagamentos em 2030. São quase 250 páginas, distribuídas em 11 capítulos, com prefácio escrito por André Street, um dos fundadores da Stone.

"Payments 4.0 analisa as forças que estão transformando o mercado Brasileiro. Nosso objetivo foi auxiliar na compreensão sobre como a revolução dos pagamentos na China influencia, mas não determina, o futuro dos pagamento no Brasil", diz o consultor Edson Santos, um dos autores, em comentário ao Broadcast.

O mercado brasileiro de meios de pagamentos é influenciado hoje por seis forças de transformação, conforme os autores do livro. São elas: concorrência; novos entrantes; evolução do comércio; reguladores; avanço da tecnologia e comportamento do consumidor.

Ao esmiuçar como essas correntes estão transformando o mercado de pagamentos no País, os autores mostram como a Stone, fundada há cerca de oito anos e com menos de 10% de participação de mercado, vale na bolsa 12 vezes mais que a líder das maquininhas, a Cielo, com 32% do setor.

Recentemente, a empresa comprou a empresa de tecnologia Linx, o que a permitiu ultrapassar o patamar de volume financeiro de meio trilhão de reais. Agora, a meta é, conforme disse o presidente da Stone, Thiago Piau, ao Broadcast, dobrar de tamanho em um espaço menor de tempo que gastou para chegar até aqui.

Essa e outras histórias fazem parte do livro "Payments 4.0", que será lançado em evento virtual (https://conteudo.cantarinobrasileiro.com.br/lancamento-payment-4-0) nesta segunda-feira, dia 30, às 19h30. Além dos autores, Edson Luiz dos Santos e Luis Filipe Cavalcanti, estão previstas ainda as participações de André Street, da Stone, o presidente da Visa, Fernando Teles, dentre outros.

Contato: aline.bronzati@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos