Política
13/03/2018 12:36

Lava Jato/Rio: dano à Secretaria de Administração Penitenciária pode chegar a R$ 23,4 milhões


Rio, 13/03/2018 - A Operação Pão Nosso, deflagrada hoje pela força-tarefa da Lava Jato, a pedido do Ministério Público Federal, a Receita Federal e o Ministério Público Estadual, está cumprindo 16 mandados de prisões preventiva e temporária, em 28 locais diversos. Até agora, pelo menos sete pessoas foram presas, entre elas o delegado da Polícia Civil Marcelo Luiz Santos Martins e o ex- secretário de Administração Penitenciária César Rubens de Carvalho.

De acordo com o procurador Eduardo Santos de Carvalho, do Ministério Público do Rio, o objetivo é investigar crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro em contratos fraudulentos da Secretaria de Administração Penitenciária do Rio com empresas de Felipe Paiva, para o fornecimento de lanches aos presídios, por meio do projeto Pão-Escola, de ressocialização de presos. As empresas forneciam as refeições aos presídios a preços acima do mercado.

Os investigadores estimam que o dano causado à secretaria seja de R$ 23,4 milhões. Com o esquema, Felipe Paiva teria lavado pelo menos R$ 73,5 milhões. Investiga-se também o desvio de R$ 300 mil em bitcoins, em quatro remessas para o exterior. O patrimônio do então secretario César Rubens de Carvalho, que foi preso hoje, aumentou pelo menos dez vezes, informaram os investigadores. Parte da propina recebida pela SEAP era repassada ao ex-governador Sérgio Cabral. O empresário Felipe Paiva, de acordo com a força-tarefa, se encontra em Portugal e não foi preso. (Roberta Jansen)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos