Política
13/05/2019 16:33

Deputada do PSL reafirma acusação de que ministro do Turismo 'orquestrou' esquema de candidaturas-laranjas


Por Leonardo Augusto, especial para a AE

Belo Horizonte, 13/5/2019 - A deputada federal Alê Silva (PSL-MG), que afirma ter sido ameaçada de morte pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, prestou depoimento nesta segunda, 13, por aproximadamente duas horas à Polícia Federal em Belo Horizonte dentro do inquérito que apura o suposto esquema de candidaturas-laranja que teria sido montado pelo partido em Minas nas eleições 2018.

O atual ministro de Jair Bolsonaro foi presidente da legenda no Estado até o final do ano passado. "Confirmei a forma como eu cheguei até o esquema, e da minha convicção de que ele tenha sido orquestrado pelo ministro", disse a deputada, ao deixar a PF. Alê Silva afirmou ter identificado irregularidades analisando as contas das quatro candidatas derrotadas que fizeram inicialmente a denúncia. "Vi que tinham recebido valores expressivos do fundo de campanha, e que esse dinheiro teria sido repassado para empresas de propriedade de assessores de Marcelo Álvaro."

A parlamentar disse ainda que, depois das denúncias, o ministro passou a oferecer cargos para aliados que teriam envolvimento com o esquema. "Marcelo Álvaro trouxe todo mundo para perto de si e tenta, com isso, se blindar. Ninguém larga a mão de ninguém", afirmou a deputada.

Alê Silva acusa o ministro de produzir notícias falsas contra ela. "Um saiu do próprio celular dele. Disso tenho prova porque produziu fake news e colocou dentro do grupo nacional do PSL." A deputada disse não se importar se o ministro vai permanecer ou não no cargo. "Por mim pode continuar. Não é da minha competência destituir alguém ou nomear alguém. O que quero é que pare de mandar pessoas produzir fake news e deixe as investigações prosseguirem."

A deputada disse não entender os motivos que levam o ministro a dizer que vem sendo vítima de "fogo amigo" dentro do partido. "Não sei, porque nunca fui amiga dele", afirmou. Em abril, a deputada já havia prestado depoimento à Polícia Federal em Brasília sobre a ameaça de morte que teria sofrido do ministro. A reportagem entrou em contato com o Ministério do Turismo e aguarda retorno com posicionamento sobre as declarações da deputada.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos