Política
29/11/2020 22:25

PF/Souza: Havia promessa de novo ataque, que não ocorreu


Por Idiana Tomazelli

Brasília, 29/11/2020 - O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, disse hoje que havia promessa de um novo ataque aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no 2º turno das eleições, mas isso não ocorreu. "Em função da deflagração da operação ontem, as coisas se acalmaram", disse.

A PF deflagrou ontem a Operação Exploit e, juntamente com a polícia portuguesa, prendeu um suspeito de ter participado do ataque hacker ao TSE no primeiro turno. Outros três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados foram cumpridos em São Paulo e Minas Gerais.

O diretor-geral da PF disse que o TSE não é a única vítima de ataques hacker no governo e que a corporação tem se aperfeiçoado para combater esse tipo de ação, uma vez que crimes cibernéticos tendem a crescer ao longo da próxima década.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, disse que, após os "pequenos problemas" do primeiro turno, uma série de testes foram realizados para garantir que o episódio não se repetiria no segundo turno. Em 15 de novembro, houve instabilidade no e-Título, e a totalização dos votos atrasou devido a um "problema técnico" na inteligência artificial do sistema que faz a totalização.

Barroso garantiu que os imprevistos no primeiro turno não tiveram relação com o ataque hacker, que resultou no vazamento de dados de servidores do tribunal.

"Dessa vez (no segundo turno) foi tudo perfeito, ficamos até com medo de divulgar tudo cedo demais", brincou. Segundo Barroso, às 21h11, 100% dos votos já estavam totalizados.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos