Política
13/03/2018 13:01

Novo chefe da Polícia Civil do Rio pede atuação "sem protagonismos individuais"


Rio, 13/03/2018 - O novo chefe da Polícia Civil do Estado do Rio, Rivaldo Barbosa, foi empossado nesta terça-feira, 13, pedindo uma atuação "sem protagonismos individuais" das instituições de segurança e maior aporte de recursos para a Polícia Civil. O novo chefe de polícia disse ainda que uma de suas prioridades será "combater a corrupção".

Barbosa foi empossado pelo secretário de Estado de Segurança do Rio, Richard Nunes, nomeado pelo interventor federal Walter Braga Netto. O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), não compareceu à cerimônia.

O novo chefe da polícia falou em "muitos desafios" e pediu união na busca por soluções para a segurança pública do Estado. "Minha primeira proposta a todos: que busquemos a união de homens de bem e a integração das instituições sem protagonismos individuais", discursou, diante de cerca de 500 pessoas, a maioria policiais civis, no lotado auditório da Cidade da Polícia, em Benfica, na zona norte do Rio.

"A intervenção federal em nosso Estado tem conduzido suas decisões - e eu sou testemunha - com respeito institucional irrepreensível, com definições claras e objetivas no que se referem a metas a serem alcançadas. Em todas as reuniões que participei houve sempre a preocupação com o inafastável respeito ao cumprimento da ordem constitucional, assegurando a observância e a garantia dos direitos individuais", disse.

Ex-diretor da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa pediu um maior aporte de recursos à Polícia Civil. Ele se comprometeu a encaminhar uma Lei Orgânica para a instituição, defendeu a realização de concursos públicos regulares "como acontece com as Forças Armadas", o aprimoramento da academia de formação de policiais e o aperfeiçoamento da área de inteligência, "para combater a corrupção". Segundo Rivaldo, o combate à corrupção "é uma das minhas prioridades".

No fim de seu discurso, o chefe de polícia citou Winston Churchill e pediu aos policiais presentes que "armem-se, sejam homens de valor e estejam prontos para o conflito".

Rivaldo Barbosa substitui o delegado Carlos Augusto Leba na chefia da polícia. Leba estava no cargo desde outubro de 2016. Em seu discurso de despedida, elogiou o sucessor, criticou os "especialistas de ocasião" e lamentou as condições da instituição, que sofre com falta de agentes - são 8,5 mil, quando deveria ser três vezes mais. (Marcio Dolzan)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos