Releases
03/04/2018 14:45

Como a filosofia pode nos ajudar a pensar fora da caixa - e por que isso é importante


Niterói, RJ--(DINO - 03 abr, 2018) - Desde antes do início da filosofia, o homem já se dava conta da importância de se adquirir novos conhecimentos que o ajudassem em seu dia a dia, em sua vida prática.

Quanto mais aplicável, maior seria a importância daquele conhecimento na sociedade.

Essa ideia permaneceu até Tales de Mileto, considerado por muitos como o primeiro filósofo, pois, com o surgimento do pensamento filosófico, o ser humano começava a mudar tal forma de pensar e com isso dava o seu maior salto intelectual até então.

Esse salto ocorreu, conforme ensinou Aristóteles, diferente de todos os demais ramos do saber humano.

A filosofia seria o único saber que não possuiria nenhuma aplicabilidade prática, e por isso mesmo seria o saber por excelência.

E muito perguntariam então: para que serve a filosofia? A essa indagação Aristóteles vai dizer: "a filosofia não possui um telos, uma finalidade específica".

E será justamente por não possuir essa finalidade, que a filosofia será o maior de todos os saberes humanos e essencial para nossas vidas.

Imagine se um dia você encontre uma pessoa que afirme que tudo o que você viveu e acreditou, fossem uma farsa, ou minimamente um engodo, e que você vive em uma grande ilusão, completamente longe do que seria realmente a verdade.

O choque de tal descoberta seria enorme para qualquer um. Você provavelmente se lembrará do roteiro do filme Matrix, onde o personagem Morfeu se encontra com o personagem chamado Neo, e diz que o máximo que ele pode prometer é mostrar a verdade, pois até então Neo teria vivido em um mundo ficto, distante da realidade e manipulado para que ninguém despertasse do seu sono ilusório.

Essa ideia já tinha sido apresentada por Platão em sua obra A República, em seu livro VII, conhecido como a Alegoria da Caverna.

Por mais que o filme Matrix seja uma ficção científica, a história da humanidade está repleta de antigos paradigmas que foram superados.

Para a superação de tais paradigmas, a filosofia sempre ocupou local de destaque, com participação essencial em nossa evolução.

É pela filosofia que aprendemos a ter a nossa mente aberta, sempre apta a pensar e refletir sobre novas questões, novos conhecimentos.

Se o conhecimento científico pode contribuir para abrir possibilidades infinitas, será a filosofia quem irá refletir, pensar sobre essas novas possibilidades.

A filosofia é o único conhecimento que não possui qualquer limite, onde o ser humano pode refletir desde a existência de Deus, sobre a sua própria existência, passando pelo estudo sobre a cultura, natureza, questões lógicas, éticas, estéticas, políticas, sociais, de gênero, de raça, de etnia, etc.

A filosofia pode refletir sobre todos as questões ligadas aos seres humanos, por isso a filosofia está em tudo que fazemos ou pensamos.

Contudo, para filosofar, faz-se necessário algum tempo, que os gregos denominavam de ócio, ou seja, o tempo que você não precisa trabalhar para ter sua subsistência. E esse tempo está cada vez menor, as pessoas cada vez pensam e refletem menos. Se os grilhões das escravidões antigas foram quebrados, a escravidão atual é por um consumo desenfreado.

Em razão disso, cada vez mais damos importância apenas para o que possui uma serventia direta e prática, e pouco a pouco vamos esquecendo o ato e filosofar, de refletir. Passamos a viver de forma autômata.

O resultado dessa forma de viver teve início na revolução industrial e encontra seu possível ápice com o atual desenvolvimento da internet, das redes sociais e principalmente da inteligência artificial.

Com isso, passamos a acreditar que seriam esses os elementos que dão sentido à vida, que dão valor a vida.

Por esse erro, estamos vendo uma sociedade doente, uma sociedade extremamente deprimida, angustiada, ansiosa, onde as chamadas doenças da alma vêm ganhando cada vez maior destaque, culminando com a escalada dos suicídios em idades cada vez mais novas.

Para tentarmos dar uma guinada no atual momento enfermo da sociedade, nos blindarmos contra os problemas inerentes da vida e estarmos sempre abertos a novos avanços, novas descobertas que venham a mudar a própria sociedade, a filosofia é elemento imprescindível.

Sem o ócio filosófico, sem esse tempo para refletirmos, acabamos na intolerância, na ignorância, defendendo ideias totalitárias e negativas de direitos humanos. A filosofia amplia nossos horizontes.

Ao sairmos da nossa "antiga caixa" de pensamentos, saímos da caverna de Platão e percebemos que temos não apena um mundo, mas um universo de possibilidades de estudo e reflexão.

A filosofia nos livra das pequenas angústias da vida humana, e nos lega as grandes angústias existenciais. Mas enquanto as primeiras nos causam depressão, tristeza e melancolia, as grandes angústias existenciais nos impulsionam a pensar e refletir sempre mais, sem encontrar limites.

Esse deve ser o nosso destino. Condenados não a sofrer por pequenos dilemas sociais causados por nós mesmos, mas condenados a querer saber e descobrir sempre mais.

Não existimos para sofrer, mas para pensar livremente. Inovar. Buscar soluções para as nossas vidas, fora de paradigmas, fora da caixa.

Prof. Dr. Thiago Rodrigues Pereira
Professor do Programa Filosofia Essencial
Novo Liceu


Website: https://www.novoliceu.com

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: