Releases
22/10/2018 11:19

Mercado de trabalho e educação sofrem adaptações com a chegada da Geração Z


Niterói - RJ--(DINO - 22 out, 2018) -
Toda geração apresenta características e necessidades específicas. Em um cenário cada vez mais dinâmico, é preciso que os setores estejam aptos a fazer as mudanças. No caso da educação e do mercado de trabalho, esses são pontos destacáveis. Diante da chegada da Geração Z, portanto, é necessário pensar em novos meios de atender às exigências.

Hoje, os integrantes desse nicho já detêm 44 bilhões de dólares de poder de compra. Com isso, recebem cada vez mais atenção. Muitos já estão aptos a entrar no mercado de trabalho, então o segmento profissional também tem que se preparar quanto a essa questão.

A Divisão das Gerações

A forma como as pessoas enxergam o mundo ou manifestam suas necessidades varia com o contexto social no qual estão inseridas. Épocas distintas, portanto, dão origem a grupos com características diferentes — e é a partir dessa premissa que surge a divisão da população entre as gerações.

A classificação é um mecanismo muito adotado pelos governos e até pelas empresas para categorizar as ações de acordo com o grupo de interesse. Atualmente, há segmentos já conhecidos, que são:

  • geração silenciosa: refere-se ao grupo mais antigo e corresponde aos nascidos entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, de 1920 ao começo da década de 1940. São pessoas de 70 a 90 anos e que foram criadas em períodos de instabilidade e poucos avanços;
  • boomers: referente aos nascidos após a Segunda Guerra Mundial, ficam na faixa de 1945 a 1965. Estiveram envolvidos em cenários como a emancipação feminina no mercado de trabalho, a conquista de direitos e o desenvolvimento das profissões em várias frentes;
  • Geração X: nascidos em 1965 e 1980, lidaram com alguns conflitos mundiais, mas tiveram maior sensação de segurança. Também se dedicaram ao trabalho “tradicional” com mais intensidade e têm uma visão muito voltada para o esforço na profissão;
  • Geração Y: chamados de Millennials, os integrantes são os nascidos entre 1980 e 1997, em média. São dinâmicos e buscam novas formas de trabalhar e de aprender, embora ainda mantenham algum nível tradicional:
  • Geração Z: conhecidos como Centennials, nasceram de 1998 até os dias atuais. São os mais jovens, já criados em meio à tecnologia e com valores voltados para o futuro.
O potencial da Geração Z

Apesar de novos, os integrantes da Geração Z já demonstram muito potencial em todos os aspectos da vida. São pessoas altamente ligadas à tecnologia e, por causa disso, acostumadas ao dinamismo das transformações.

Mudam de mentalidade com facilidade e são abertos a muitas novidades. Ao mesmo tempo, são mais conservadores que os Millennials e, por vezes, aproximam-se da Geração X nesse aspecto.

Outra característica marcante é a necessidade de obter a sensação de pertencimento a uma comunidade. Os Centennials querem sentir que fazem parte de algo maior e que têm um impacto positivo no cenário em que estão inseridos.

Os desafios dos Centennials

Apesar de terem nascido em uma época de relativa estabilidade, os integrantes dessa classificação encaram grandes obstáculos em suas realidades. Eles precisam lidar com o fraco crescimento econômico e até com a recessão em vários setores.

Também enfrentam cenários como crises financeiras e políticas — a exemplo da dificuldade em relação aos imigrantes. Ainda lidam com problemas como os conflitos armados em várias partes do mundo e seus impactos na economia global, bem como com a automação e substituição de profissões.

Ao mesmo tempo, os nativos apresentam uma essência repleta de características positivas. Há a autoconsciência sobre o impacto na sociedade, o altruísmo e a vontade de mudar o mundo. Isso gera um senso maior de independência e ambições empreendedoras, em busca de soluções coletivas e com grande desempenho.

Pragmáticos e realistas, 60% dos nativos preferem ter garantias de que nunca passarão necessidade a ficarem ricos, o que indica a baixa disposição em correr riscos. Ao mesmo tempo, 70% desejam ter o próprio negócio. Quanto aos impactos no mundo, 60% deles querem deixar uma marca positiva no planeta.

Os impactos da Tecnologia

Boa parte das características desses indivíduos está relacionada à presença de tecnologia. Acostumados desde cedo com o aspecto, os Centennials cresceram com uma visão de mundo dinâmica e muito conectada.

Muitos já seguem para o ambiente de trabalho, onde é essencial que tenham contato com esses elementos. Como resultado, muitos integrantes da geração procuram áreas voltadas para a tecnologia e para o desenvolvimento de novas soluções.

As novas formas de ensino

As qualidades especiais da Geração Z vão além do grande conhecimento sobre tecnologia e internet. Elas fazem com que seja preciso mudar a forma de ensino para atrair e manter a atenção desses alunos.

Os professores têm que estar mais preparados e devem ter o objetivo de criar profissionais críticos e criativos. Também é recomendado utilizar as ferramentas de tecnologia como aliadas, ter uma infraestrutura moderna e mudar a forma de ensino. Palestras e diversos tipos de evento nas escolas são bem-vindos.

A ZION sabe disso e vai além das escolas totalmente equipadas. A instituição busca inovar, tanto por meio dos conhecimentos, quanto pelos eventos direcionados ao aprendizado. Assim, os futuros designers e gamers conseguem ficar sempre por dentro.

Uma das principais realizações da escola é a Creative Week. Essa semana voltada para a criatividade já está em sua 4ª edição e traz os melhores profissionais do ramo de entretenimento. Durante o evento, os alunos passam por uma imersão total em um conteúdo voltado para a área de interesse, mas longe da rotina da sala de aula.

Em 2018, o evento de arte e criatividade aconteceu de 16 a 21 de outubro nas unidades da ZION e seu encerramento ocorreu no domingo, no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói, onde quem garantiu sua vaga teve a oportunidade de conhecer grandes nomes, como:

  • Matheus Christovam: Designer e ilustrador de desenhos. Na área empresarial criou para a própria Google, Adobe Brasil, Printi,Sony Music entre outras;
  • Gabriel D´Orazio: Modelador 3D e especialista em luz, textura e render. O palestrante teve passagem pelo mundo da computação gráfica já tendo feito projetos para Fanta, Nissan, BMW, Skol, Arno, até lançar o curta Finito – seu trabalho pessoal mais recente;
  • Ivan Freitas da Costa, sócio-fundador da CCXP – Comic Con Experience 2017, evento que se consolidou como a maior comic-con do mundo reunindo mais de 227 mil pessoas;
  • Uno de Oliveira, Supervisor de Efeitos Visuais na Rede Globo. Já participou de projetos importantes como Avenida Brasil, Velho Chico, A Regra do Jogo, Liberdade Liberdade, Mundo Novo, entre outros; e
  • Anderson Gaveta: é sócio-fundador da produtora Gaveta Filmes, que atende grandes nomes da internet brasileira como Porta dos Fundos, Globo, Zoom, Canal Nostalgia e também é coautor do Jovem Nerd, canal de sucesso no Brasil com mais de dois milhões de visualizações mensais. Além disso, trabalhou na Globosat e na renomada Seagulls Fly, onde participou de projetos para grandes clientes como Adobe, Intel, Coca-Cola, Chevrolet, Blizzard e Sprint.
Os Irmãos Piologo, que são referência em humor na internet farão a apresentação desse último dia no Teatro Popular. A dupla, que está junto com a escola desde a 2ª edição do evento, anima toda a plateia, tornando o momento único para os participantes.

Uma grande novidade para esse ano é o Meet&Greet, onde 100 alunos terão a oportunidade de conversar e tirar fotos com esses profissionais do Creative Week.

Além de ser uma ótima oportunidade para que os alunos conheçam conceitos atualizados, é um jeito de estabelecer conexões valiosas rumo à vida profissional. Será um espetáculo de entretenimento com os melhores nomes dessa indústria fascinante, onde o foco principal é aprendizado dinâmico para centenas de jovens das unidades ZION.

As adaptações do mercado de trabalho

Já que o ensino tem que se adaptar à chegada dessa nova geração, é natural que o mercado de trabalho também passe por algumas modificações. Os Centennials têm um preparo profissional ainda desconhecido e, portanto, as empresas têm se adaptado.

Agora, os funcionários são exigentes quanto aos seus empregadores, que devem demonstrar responsabilidade social corporativa e com o meio ambiente. Além de tudo, os empreendimentos têm que trazer novos meios de engajar pessoas, motivá-las e trabalhar seu propósito rumo aos resultados esperados.

A chegada da Geração Z na educação e no mercado de trabalho exige transformações e adaptações. Sabendo disso, a ZION sempre pensa no melhor para os seus alunos: desde a estrutura das unidades até a variedade de eventos voltados para a área do entretenimento. Assim, os estudantes podem viver uma experiência única com profissionais do ramo e que incentiva a seguir essa carreira.



Website: http://escolazion.com

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos