Releases
11/10/2018 17:24

Educador Marcelo Cunha Bueno lança sua mais recente obra na semana do professor


São Paulo--(DINO - 11 out, 2018) - Em seu segundo livro, "No chão da escola: por uma infância que voa" (Ed. Passarinho), Marcelo Cunha Bueno reflete sobre educação sócio-construtivista, o processo contínuo de aprendizado da criança e a sua ligação com os professores e o afeto existente nessa conexão; além de mostrar o contato das crianças entre si e delas com a natureza. Apresenta a alegria de aprender, de pensar, de descobrir o mundo.Em 17 capítulos, de leitura rápida e leve, Marcelo fala sobre quem escolhe, se é a escola ou a família; o porquê é bom entrar para a escola; fases do desenvolvimento; a sala de aula como cenário de ideias; sobre rotina, adaptação, afeto e confiança; a hora de perguntar; refletir e festejar datas comemorativas.O autor busca mostrar que a infância não é apenas aquele momento de belas lembranças, onde tudo é bonito e gostoso. Este é um momento de incertezas unidas a descobertas, apresentando possibilidades de transformações durante experiências da brincadeira ao aprendizado. E a escolha da escola não é algo fácil pela embalagem em que ela aparece, pois a proposta não se torna clara. Segundo Marcelo, "o simples é o que há de mais complexo na educação, mistura profundidade conceitual com relação. É preciso não aceitar mais as superficialidades vindas e ouvidas nos corredores dos supermercados educativos e dar um basta nisso tudo. É preciso devolver às famílias o direito de terem tempo para escolher as escolas de seus filhos e entregar a educação nas mãos dos educadores, que estão na linha de frente de qualquer escola; como também não ter mais receio de fazer uma boa educação. Mesmo que custe caro."Marcelo quer que tanto pais quanto educadores tenham ciência que sala de aula é um espaço para concretização de ideias e não para reprodução de conteúdos apenas, pois lá tudo cabe. Não há a necessidade de um espaço padronizado que não dialoga com as pessoas que o frequentam. Segundo o autor, isso o deixa aflito. As paredes precisam deixar de ser brancas e estarem ocupadas por bugigangas, engenhocas e ideias. O espaço precisa ser teatral, dar a possibilidade de alunos e professores o reinventarem."No chão da escola" também traz que é importante aprender e ensinar com afeto não apenas no sentido do carinho, mas no educador fazer a diferença na vida da criança e ela poder lembrar essa pessoa para todo o sempre. Marcelo diz que preparar uma aula é uma demonstração profunda de afeto. É um presente. Educador, diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender, coordenador da Teia de Saberes - Espaço de estudos para educadores - e apresentador do programa Vigiando a Vovó, exibido no GNT. Formado em pedagogia pelo ISESP, Instituto Superior de Educação de São Paulo - Singularidades, com especialização em educação em Harvard - MBE - e pós-graduação em Pedagogia de las diferencias, pela FLACSO, Argentina, é consultor educacional de diversas empresas e escolas particulares por todo o país. Foi consultor pedagógico e colunista da Revista Pais&Filhos, colunista da Revista Crescer e Coordenador do Programa de Extensão Acadêmica da Faculdade Singularidades. Durante quatro anos, atuou como consultor do Mundo do Sítio (eleito, em 2012, o site do ano na categoria educação) e foi responsável pela elaboração da Cartilha da Internet Segura para crianças, famílias e professores em parceria da NET com Mundo do Sítio. Autor do livro Sopa de Pai, publicado pela Editora Passarinho. Atualmente, o Marcelo coordena o Projeto Escola Lixo Zero que pretende repensar a cadeia de consumo dos produtos usados dentro das escolas.

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos