Releases
07/07/2017 17:26

Rio Grande do Sul tem unidade modelo de recuperação energética


Nova Santa Rita, RS--(DINO - 07 jul, 2017) - A Fundação Proamb firmou mais um importante passo na consolidação do conceito de gestão ambiental como oportunidade de negócio ao apresentar o projeto de ampliação e modernização de sua Unidade de Energia, que opera na cidade de Nova Santa Rita (RS). Planta modelo e pioneira no Estado, é referência na valorização energética de resíduos sólidos industriais ? ou seja, na fabricação de combustível derivado desses materiais.

Esse processo gera uma série de benefícios, tanto ambientais quanto socioeconômicos. A recuperação energética dos resíduos extingue a necessidade de destina-los em um aterro industrial, eliminando esse passivo. Além disso, a mistura que resulta desse processo é um combustível com elevado poder calorífico, que diminui em até 30% o consumo de fontes de energia não renováveis por meio da substituição térmica. Some-se a isso a oportunidade de movimentação econômica, geração de emprego e renda advinda do trabalho ali desenvolvido. "Tudo isso significa menor impacto ambiental, ganhos produtivos, financeiros e muito mais eficiência na gestão ambiental", explica o diretor de operações da Proamb, Gustavo Fiorese.

Como ocorre esse processo
Na Unidade de Energia são coprocessados itens como borras de tinta e solvente, plásticos, madeiras, têxteis, serragem contaminados com óleos lubrificantes, solventes ou combustíveis. Em vez de serem depositados no meio ambiente, gerando passivos ambientais, eles são caracterizados e avaliados quanto as suas propriedades físico-químicas para atestar sua possibilidade de serem coprocessados. Após essa avaliação, inicia-se o processo industrial. O primeiro deles é a trituração. Depois, os metais são separados por um processo de extração magnética. O próximo passo é a separação pneumática, que tira qualquer impureza residual. Por fim, o material é novamente triturado e está pronto para a destinação. Todo esse processo complexo é executado por um aparato tecnológico com capacidade produtiva de 4.000 toneladas/ mês. Esse sistema está alocado em uma área de mais de 4,3 mil m2 construídos, incluindo três pavilhões industriais que atendem às mais rigorosas normas de segurança em sua instalação.

Oportunidade de negócio
Em 2010, a FEPAM anunciou a portaria 016, proibindo que materiais inflamáveis fossem dispostos em aterro ? normatização rapidamente identificada como oportunidade de negócio. A Proamb assumiu o desafio de transformar aquilo que era um problema para muitas empresas em solução rentável. Então, cinco anos depois, apresentou o projeto de modernização e ampliação da planta de coprocessamento da Unidade de Energia. Esse trabalho teve um marco importante em 2016, quando houve a compra dos equipamentos junto a empresa austríaca Lindner-Recyclingtech GmbH, referência em tecnologia para trituração. O projeto de ampliação e modernização totalizou investimento de R$ 6 milhões e contou com financiamento de R$ 5,4 milhões do BRDE, fundamental para realização do empreendimento ? entregue pouco mais de um ano após a assinatura do termo de parceria ? ou seja, cerca de seis meses antes do tempo previsto.

"Nosso grande objetivo é transformar o Rio Grande do Sul em um polo indutor de gestão ambiental. É com esse propósito que a Proamb tem trabalhado ao longo de seus 25 anos, e movidos por esse ideal estamos entregando essa obra, uma inovação tecnológica agora à disposição de todas as empresas gaúchas, fruto da soma dos esforços de diversos parceiros igualmente responsáveis por transformar esse sonho em realidade", diz o presidente da Fundação, Neri Gilberto Basso.

Os interessados em conhecer mais sobre a Unidade de Energia podem contatar a Fundação Proamb pelo fone 3055-8700.



Website: http://www.proamb.com.br

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: