Releases
16/04/2018 18:30

Rede Sibratec de Serviços para Manufatura Mecânica promove Fórum sobre Revolução 4.0 em São Paulo


São Paulo, SP--(DINO - 16 abr, 2018) - Revolução 4.0: um olhar tecnológico e estratégico para a prestação de serviços metrológicos na Manufatura Mecânica. Este é o tema do fórum que será realizado pela Rede Sibratec de Serviços para Manufatura Mecânica (RP2M), no próximo dia 26 de abril, a partir das 14h, no São Paulo Expo, durante a Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos (FEIMEC). O evento terá entrada gratuita, e as inscrições podem ser feitas em http://bit.ly/2sMuyNs.

Para debater o impacto da Revolução 4.0 no setor, serão constituídas duas mesas redondas com a participação de empresas, laboratórios e governo, que abordarão, entre outros assuntos, as formas de integração entre demanda e oferta de serviços tecnológicos no contexto dos desafios da Indústria 4.0, além das opções de financiamento e modelos de operação.

"Percebemos que muito está se debatendo a respeito da Indústria 4.0 e toda a transformação que está associada ao tema. Nosso desafio foi interpretar como essa revolução pode impactar os laboratórios de serviços metrológicos da Rede e propor uma visão de um 'Laboratório 4.0'. As mudanças que conduzem a essa visão serão apresentadas e discutidas, além dos desafios e oportunidades", destaca o coordenador da RP2M, Gustavo Donatelli.

Gerenciada pela Fundação CERTI, a RP2M é uma das redes na vertente Serviços Tecnológicos constituídas por iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) no programa Sibratec, em apoio ao desenvolvimento de serviços tecnológicos em metrologia, normalização e avaliação da conformidade para o equacionamento de demandas não atendidas do setor produtivo, com foco na superação de exigências técnicas nacionais e facilitação do acesso aos diferentes mercados mundiais. O Programa Sibratec, nesta vertente, busca estruturar capacidade de atendimento das demandas da indústria de forma cooperada. As redes são estruturas organizacionais ? quando operando de forma sistêmica e operando com continuidade ? muito adequadas e aptas a facilitar a conexão entre a demanda e a oferta.

"No Brasil, especialmente, esta estratégia é ainda mais recomendada pelo fato de haver no país demandas e ofertas localizadas em entidades distintas, áreas de competências distintas e localizações geográficas distintas. A principal missão dos gestores é otimizar o aproveitamento de altos investimentos já realizados até aqui ? seja em capacitação, infraestrutura, acreditações, credenciamentos ou certificações ? e fechar lacunas de atendimento, por meio de novos e bem direcionados investimentos", destaca o Superintendente de Operações da CERTI, Günther Pfeiffer.

A Fundação CERTI tem buscado contribuir para este amplo desafio, modelando e operacionalizando gestão de redes, a exemplo da Coordenação da Rede Sibratec de Serviços para Manufatura Mecânica (RP2M), a fim de fazer frente aos novos desafios da competitividade da indústria brasileira no contexto da Indústria 4.0.

"Se por um lado, o conceito e o modelamento de Redes de Cooperação parecem de fácil compreensão e adoção, por outro, operar efetivamente em rede, com continuidade, é um esforço grande e um desafio permanente. Redes de cooperação somente trazem seus significativos resultados quando há efetiva vida no conjunto da obra, fluxo de informação atualizado, flexibilidade e postura de colaboração e relacionamentos geradores de bases sólidas de confiança técnica e em negócios", completa o dirigente da CERTI.



Website: http://rp2m.org.br/

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos