Releases
04/04/2019 12:24

Parque Itinerante ? Lazer para os adultos, diversão garantida para as crianças


Rio de Janeiro, RJ--(DINO - 04 abr, 2019) -
Era uma vez um lugar encantado, onde todas as magias acontecem, onde os sonhos se realizam, onde a diversão nunca tem fim. Impossível não se lembrar saudosamente da infância quando se fala em Parques de Diversões. São milhares de parques itinerantes espalhados por todo país, oferecendo atrações para crianças de todas as idades. São brinquedos de vários tipos e tamanhos, shows com efeitos, luzes e desfiles; uma diversão garantida para toda a família.


Mas então, por que os parques no geral estão perdendo seu público?


O mundo digital chegou para facilitar a nossa vida em todos os setores: trabalho, escola, lazer... Não podemos negar que ganhamos muitos benefícios com toda essa tecnologia. Mas, em contrapartida, por ficarmos mais tempo ligados na frente da telinha, deixamos escapar aquele tempo precioso do mundo lá fora.Muitas crianças e jovens passam horas e horas conectados em jogos, assistindo vídeos ou trocando ideia com amigos pelas redes sociais. Um estudo mostra que hoje, 8 em cada 10 crianças e adolescentes com idade entre 9 e 17 anos possuem um celular. Isso dá um total de 24 milhões de jovens que acessam a internet via smartphone. ¹Com esse “alcance” tão fácil a jogos e entretenimento, o desinteresse por atividade em grupo é nítido. Visto que muitos pais também não se esforçam para motivar os filhos a praticar atividades ao ar livre, faz com que esses jovens não tenham curiosidade em sair das redes e se socializar fora do mundo digital.Os números mostram que num período de 5 anos (2012 a 2017) o acesso de crianças e adolescentes a dispositivos como celulares passou de 21% para 93%. As atividades mais acessadas são: mensagem (79%), vídeos (77%), música (75%) e redes sociais (73%).¹


E como ficaram os parques diante de toda essa mudança?


A cada ano que passa, parques e empreendimentos encerram suas atividades. Isso preocupa o setor e mostra que para encontrar uma saída, o segmento precisa se renovar. Entre as principais razões apontadas para esses fechamentos estão:


- Baixo número de visitantes?

- Fracasso em atrair turistas de outras cidades?

- Acidentes com brinquedos?- peças de reposição dos brinquedos com custos elevados?

- Serviços inferiores aos parques internacionais?

- Baixo índice de investimento em novos brinquedos


Segundo a Associação dos Parques de Diversões do Brasil (Adibra), existem no pais (2017) mais de 300 parques associados. Dentre eles, estão diversos tipos de projetos, como parques temáticos, itinerantes, aquáticos e parques instalados em shoppings.No mundo, segundo o relatório de 2016 TEA/AECOM o número de visitantes das 10 maiores empresas cresceu 4,3% de 2015 para 2016. Parece pouco, mas diante o cenário que temos aqui no Brasil, esse número faria muito bem para a crise que se instalou no setor.


O que fazer para esse segmento voltar a crescer?


Se reinventar. Criar novos brinquedos, oferecer novas experiências e atrações ligadas ao mundo digital pode ser a chave para encontrar o caminho de volta dos visitantes. Dentre os projetos, os parques itinerantes tem algumas vantagens. Por ocupar espaços diferentes a cada temporada e serem menores, podem explorar atrações locais e criar brinquedos voltados a esse tipo de público.Ronaldo Marques, Gestor comercial da rede Play City fala que para concorrer com entretenimentos digitas como celulares, tablets, séries on demand é preciso se ajustar. “Os hábitos do público tem se modificado e os parques itinerantes precisam se ajustar a isso. O Play City já entendeu que, além do foco em segurança, atendimento, busca criar experiências incríveis e inéditas. Procura encontrar parcerias que contribuam para este propósito e aprimorar a sua interação com o público. E neste contexto o Marketing Digital e a criação de novos produtos são peças chave.", diz o diretor.Hoje, podemos ver que esses modelos de parques são os que mais crescem no país. Redes como a Play City (um dos maiores parques itinerantes do Brasil) estão cada vez mais bem preparados em infraestrutura para receber jovens, crianças e toda família.O parque Play City já está presente em 3 cidades da região Sudeste: Rio de Janeiro (Shopping Nova América), Petrópolis (Itaipava Parque de Exposições) e Belo Horizonte (Expominas Belo Horizonte), oferecendo atrações incríveis e uma infraestrutura completa com área de lanche, descanso e segurança para todos. É possível comprar o Passaporte da Alegria ou ingresso individual pelo site www.playcitydiversoes.com.br.Compreender o que as crianças e os adolescentes de hoje estão buscando é o primeiro passo para atrair a atenção deles e garantir um dia em meio a descobertas e diversão. E logicamente, os parques não podem se esquecer dos adultos, incentivando-os a fazer parte dessa brincadeira com os filhos e toda família. Por que lá no fundo, todo adulto tem uma criança dentro de si.Segundo Angela Mendes, diretora executiva da rede Play City, para continuar crescendo diante desse novo cenário é preciso estar sempre se atualizando. E ela ainda completa: "Procuramos estar perto do nosso público onde eles estão sempre presentes, ou seja, na internet, através do marketing digital, ouvindo suas opiniões, criando interação e apresentando ofertas constantes. E ainda, uma vez por ano o time administrativo busca novidades em feiras internacionais e pesquisas na maior referência mundial em parques, a Disney”.

 

¹ Fonte: Pesquisa Tic Kids Online – realizada em set/2018 pelo Comitê Gestor de Internet no Brasil (CGI.br)



Website: http://www.playcitydiversoes.com.br

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos