Releases
16/09/2019 17:21

Qual a melhor forma de vender na internet: loja virtual ou marketplace?


Marília, São Paulo--(DINO - 16 set, 2019) -
 


No mundo digital, existem várias formas de vender um produto ou serviço. As plataformas são inúmeras e criam infinitas oportunidades de conectar produtos com o público de interesse, porém, é preciso entender a dinâmica do comércio online e as regras de cada um dos canais para atingir os objetivos.


Os marketplaces têm se mostrado uma modalidade muito atrativa para os lojistas, pois, além de conectarem rapidamente produtos com um público já interessado na compra, exigem menos conhecimento técnico, se tornando um grande aliado de quem deseja poupar tempo e dinheiro.


 


COMO FUNCIONAM OS MARKETPLACES?


Como um grande shopping online, os marketplaces são empresas que vendem de tudo um pouco na internet. Entre os grupos mais famosos do Brasil estão a B2W (responsável pela Americanas, Submarino e Shoptime), além do Carrefour, Magalu (Magazine Luiza), entre outros.


Sua principal função é conectar possíveis compradores a produtos e esse modelo de negócio tem se tornado uma fonte de receita para pequenos e médios empreendedores digitais e até para os grandes varejistas.


 


AUDIÊNCIA GARANTIDA E ALTA VISIBILIDADE


Os grandes marketplaces do país tem audiência garantida. A B2W, por exemplo, recebe cerca de 4 milhões de visitas por dia. Essa audiência já consolidada facilita que mais pessoas conheçam e adquiram produtos de pequenos ou médios empreendedores que ainda não possuem grandes operações online.


 


SITE JÁ RANQUEADO NO GOOGLE


Os grandes marketplaces já estão bem posicionados nas páginas de busca, portanto ao investir nesse tipo de plataforma, não será necessário investir em SEO ou ações de marketing com o intuito de gerar tráfego para o marketplace. Uma oportunidade de poupar ou até investir em outras áreas do e-commerce como: e-mail marketing, Google ADS, etc.


Embora ter produtos atrelados com os marketplaces ofereça grandes benefícios para as marcas é preciso considerar também as desvantagens desse modelo de negócio, evitando assim surpresas a longo prazo.


 


DIFICULDADE NO POSICIONAMENTO DE MARCA


Apesar dos marketplaces garantirem conexão rápida entre produtos e compradores, a visibilidade gerada para a marca será quase zero. Normalmente, os créditos pela boa experiência de compra permanecem com a plataforma e não com as lojas que realizam de fato a venda. É o que alerta Robinson Gregorato, CEO da agência digital Eficaz Consultoria: “Muita gente nem se dá conta que está comprando um produto vendido e entregue por outra marca, ao contrário, acredita que está comprando direto dos marketplaces, sem ao menos notar a marca ali. Se o objetivo é tornar a marca conhecida, o caminho dos marketplaces é muito mais longo, será preciso investir em outras estratégias em paralelo com os marketplaces. ”


Outro ponto negativo são as ferramentas disponíveis no mercado que facilitam o monitoramento dos concorrentes, produtos mais vendidos e até faturados. Essa realidade pode aumentar a concorrência e diminuir as conversões. Oscilações de faturamento e falta de controle sobre as vendas também dificultam um planejamento a longo prazo.


 


TAXAS


Especialistas alertam sobre a importância de não depender somente dos marketplaces para vender produtos. As vendas atreladas aos marketplaces entregam uma porcentagem do valor pago para os detentores desta modalidade. As taxas podem ser comparadas a um aluguel de uma loja física, o que poderá pesar no bolso dos lojistas que trabalham com o único canal de vendas.


 


CONEXÃO ENTRE MARCA E CLIENTE


Considerado a base para toda estratégia de marketing, investir no relacionamento e criar uma conexão entre marca e público é algo fundamental nos dias atuais.


“Já tem muita gente anunciando e investindo em publicidade na internet, mas a habilidade de cativar e fidelizar através da experiência de compra ainda é raro! O empreendedor digital precisa iniciar sua jornada e compreender o funcionamento do processo de vendas como um todo, e não apenas embalar os pedidos” conclui Robinson Gregorato.


Portanto, trabalhar com marketplaces em paralelo a loja online é o mais indicado. Dessa forma o empreendedor digital conseguirá administrar o negócio, ganhar a visibilidade que necessita para vender e investir cada vez mais na operação do e-commerce.



Website: https://eficazconsultoria.net.br/

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos