Releases
24/04/2019 14:12

P2P Lending: nova alternativa de aplicação financeira pode propiciar um retorno considerável


São Paulo - SP--(DINO - 24 abr, 2019) -
Que os bancos dominam o cenário comercial há mais de 100 anos não é novidade pra ninguém. Segundo o último relatório de economia bancária divulgado pelo Banco Central, no Brasil os 5 maiores bancos concentram mais de 80% dos ativos totais das operações de crédito. Eles utilizam o dinheiro que as pessoas aplicam em seus CDBs e lucram fazendo empréstimos, onde cobram altas taxas e repassam apenas um pequeno rendimento para quem aplicou.

Esse tipo de operação gera o chamado spread bancário, que é a “diferença” entre a taxa que o banco recebe dos empréstimos e a taxa que ele paga para as pessoas que aplicam seu dinheiro lá. Segundo dados do Banco Mundial, aqui no Brasil o spread bancário está entre os 3 maiores do mundo, impulsionado, entre outros componentes, pela excessiva concentração das operações financeiras nos 5 maiores bancos. O resultado é que os Brasileiros recebem pouco quando investem nas aplicações bancárias tradicionais, e pagam caro quando precisam de empréstimo (quem fica com o lucro são os bancos).

Nesse cenário, quando chega o final do mês e as contas apertam, o que é melhor fazer: buscar socorro em um banco ou em amigos e instituições que apresentem taxas de juros inferiores àquelas praticadas pelos bancos e menos burocracia? A resposta, com certeza, é a segunda opção.

A ideia, que é tão antiga quanto o surgimento da própria moeda e das primeiras relações comerciais, está agora revolucionando o modo de se fazer negócios. É o chamado P2P Lending ou, se preferir, Peer to peer Lending, um jeito de fazer negócios sem a intermediação bancária, o que torna o relacionamento entre os interessados muito mais simplificado e menos burocrático.

Foi neste contexto que surgiu o P2P Lending.

Com a presença da tecnologia cada vez mais forte nas atividades do dia a dia, o negócio ganhou espaço. Tudo é feito online, através de sites que canalizam meios que permitem e facilitam o acesso a recursos por pessoas que estejam procurando empréstimos.

Nos Estados Unidos as plataformas de P2P Lending já vêm propiciando acesso a taxas bem mais acessíveis do que aquelas praticadas pelos bancos desde 2006. Somente a maior delas, chamada Lending Club já concedeu mais de US$ 44 bilhões de em empréstimos, segundo informações da própria empresa, totalizando mais de 2,5 milhões de clientes.

O P2P Lending vem crescendo no mundo todo. A primeira iniciativa surgiu em 2005, no Reino Unido, por meio de uma empresa chamada Zopa. De lá para cá, o modelo se expandiu e chegou ao Brasil em 2016. É sinal de que tem dado certo.

As principais vantagens em apostar no P2P Lending

Domínio sobre o investimento: o interessado tem a opção de selecionar exatamente onde quer colocar o dinheiro, com o intuito de tentar auferir o melhor retorno de sua aplicação.

Retornos mais elevados para investidores e juros mais baixos para quem toma um empréstimo: é aqui que o P2P Lending desbanca o tradicional método bancário, pois, uma vez que as transações acontecem apartadas dos bancos, não há o famoso spread. Logo, as operações são mais justas. A plataforma de P2P Lending faz uma análise de crédito do solicitante, o que oferece segurança para a operação.

Menos burocracia: já que tudo é feito online, isso torna os processos mais rápidos e diminui a burocracia. Como se trata de um procedimento via Internet, as operações podem ser feitas de qualquer lugar do mundo. É mais rapidez e eficiência.

P2P Lending pode propiciar um retorno considerável para as aplicações de interessados

Embora o modelo tenha chegado no Brasil em 2016, até 2018 as plataformas de P2P Lending não eram 100% regulamentadas nas resoluções do Banco Central. Hoje, isso mudou. E foi nesse cenário de mudanças que surgiu a Ulend. Através da plataforma da Ulend (www.ulend.com.br), os interessados podem auferir retorno considerável para suas aplicações. Eles escolhem para quais empresas seus recursos poderão ser emprestados pela instituição devidamente habilitada para essa finalidade e criam uma espécie de “portfólio”.

Para as empresas, a Ulend também é um bom negócio, pois as taxas dos empréstimos giram a partir de 1,25% ao mês.

Para saber como funciona na prática basta acessar o site e fazer um cadastro rápido.



Website: http://www.ulend.com.br

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos