Agronegócios
22/05/2020 11:29

Café: setor privado nacional vai desenvolver proposta de reestruturação da OIC


São Paulo, 22/05/2020 - Representantes do setor privado do Conselho Deliberativo de Políticas do Café (CDPC) discutiram ontem, por videoconferência, propostas de reestruturação da Organização Internacional do Café (OIC), cuja sede fica em Londres. A necessidade de se propor um plano de reestruturação é um consenso entre os representantes do Conselho, informou por meio de comunicado a assessora Técnica da Comissão Nacional do Café, Raquel Miranda, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

“A Organização tem um histórico muito importante para a cafeicultura mundial, mas atualmente não acompanha as necessidades e discussões do setor e não atende as expectativas do Brasil como o maior produtor e exportador de café”, explicou Raquel.

O documento com as propostas está sendo elaborado pela CNA, pelo Conselho Nacional do Café (CNC), pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), pela Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) e Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (ABICS).

Covid-19 - Os representantes da Comissão também discutiram os impactos do novo coronavírus (covid-19) no setor cafeeiro. As Federações de Agricultura e Pecuária dos Estados presentes no encontro virtual informaram as principais ações para mitigar os efeitos da doença e os problemas enfrentados pelos produtores rurais.

Em Minas Gerais, muitos cafeicultores estão adiando a colheita por causa das dificuldades na contratação de mão de obra. Na Bahia, a falta de mão de obra para a colheita também tem sido um problema. O excesso de chuva deve causar perdas na produção. Em São Paulo, a maioria dos colhedores de café faz parte do grupo de risco do covid-19, o que novamente dificulta a contratação de mão de obra.

Já em Rondônia, 60% da colheita já foi realizada. Segundo a Federação, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) tem orientado os produtores a prolongarem o período de colheita. No Paraná, a Federação elaborou uma cartilha para os produtores com orientações de medidas preventivas ao covid-19. O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Espírito Santo (Faes), Júlio da Silva Rocha, afirmou que o Estado está atento aos pequenos produtores, principalmente aos que comercializam os produtos em feiras livres.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos