Agronegócios
18/01/2019 12:26

CBOT: grãos tendem a abrir em alta no último pregão da semana


São Paulo, 18/01/2019 - Os contratos futuros de grãos devem começar a sessão desta sexta-feira operando no campo positivo na Bolsa de Chicago (CBOT). O mercado continua sem direcionamento próprio e com ausência de sinais que impliquem precificação, em virtude da paralisação parcial do governo norte-americano. Traders tendem a ajustar posições, numa tentativa de não iniciar a próxima semana expostos a risco. Em compensação, a sessão pode ter baixa liquidez pelo fato de ser véspera de feriado prolongado nos EUA, em comemoração ao aniversário de Martin Luther King, que será celebrado na próxima segunda-feira (21).

O mercado da soja continua movimento especulativo, com ganhos acumulados nas duas últimas sessões. Um possível progresso no diálogo entre Estados Unidos e China deve manter traders otimistas. Fontes do setor aviário dos EUA relataram que representantes dos dois países discutem a retomadas da comercialização de frango, o que pode indicar uma certa disponibilidade das potências em negociar temas delicados e antigos. Desde 2015, as importações de frango norte-americano estão proibidas pelo governo chinês. Ontem, surgiram novos rumores de uma exportação de grãos dos EUA. Entretanto, traders não confirmaram se o destino final era a China. "Vamos esperar para ver se esta notícia pode ser confirmada", disse Craig Turner, da Daniels Trading.

Ainda do lado dos fundamentos altistas, um possível recuo na safra de soja da América do Sul pode contribuir para os ganhos da oleaginosa. Ontem, a Bolsa de Cereais de Buenos Aires reduziu em 200 mil hectares sua previsão de área plantada de soja na Argentina em 2018/19, para 17,7 milhões de hectares, em virtude do excesso de chuva no norte do país. Conforme a entidade, mais de 3 milhões de hectares tiveram chuvas abundantes nas últimas semanas.

No milho, investidores continuam operando no escuro, sem dados a respeito da oferta e demanda pelo cereal norte-americano. O avanço do petróleo pode sustentar as cotações do cereal neste pregão, pois aumenta a competitividade relativa do etanol. Nos EUA, o biocombustível é produzido principalmente à base de milho.

Já o trigo, tende a seguir o movimento do milho. Os dois grãos se movem na mesma direção porque são substitutos diretos na ração animal.

No overnight, o vencimento março da soja subiu 4,50 cents (0,50%), a US$ 9,1225 por bushel. O milho para março ganhou 0,50 cent (0,13%), a US$ 3,8050 por bushel, enquanto igual vencimento do trigo avançou 2,75 cents (0,53%), a US$ 5,2050 por bushel. (Isadora Duarte, isadora.duarte@estadao.com, com informações da Dow Jones Newswires)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos