Agronegócios
21/06/2022 14:32

Caminhoneiros/Abrava/Chorão: voucher para caminhoneiro e teto do ICMS são medidas eleitoreiras


Por Isadora Duarte

São Paulo, 21/06/2022 - A possibilidade de um voucher para caminhoneiros, citada ontem pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), não atende à demanda da categoria, avalia o presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, conhecido como Chorão. "O Lira está tentando transferir a responsabilidade. Ele sabe que não tem espaço para aprovar voucher, que ainda assim seria paliativo. É uma medida eleitoreira e, assim como o teto do ICMS para combustíveis, é medida 'tabajara' para tentar resolver um problema complexo", disse Chorão, ao Broadcast Agro.

Ontem, Lira disse que há a possibilidade de se incluir na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Combustíveis um 'voucher' para caminhoneiros, sugerindo que o governo conceda esse benefício por meio de medida provisória (MP). "O Lira está tentando transferir a responsabilidade agora que caiu na graça do Bolsonaro. Existe um pano de fundo atrás disso para usar emenda para reeleição", criticou Chorão.

O presidente da Abrava afirmou também que não há "espaço" no governo para implementação de um eventual voucher. "Ontem abasteci no posto a R$ 8,70 por litro e o governo falando em voucher de R$ 400 de diesel. Já falamos, na outra vez, que caminhoneiro não quer esmola. O governo tem de ter coragem de bater de frente com acionista e retirar a Política de Paridade de Preço Internacional (PPI) da Petrobras", afirmou Chorão. A PPI, adotada pela Petrobras, vincula o preço interno dos combustíveis ao preço internacional do barril de petróleo e ao dólar. "Não adianta dar voucher para caminhoneiros que não somos bobos. Lira pensa que Petrobras é um condomínio de luxo de Maceió", acrescentou.

Sobre o teto de 17% para ICMS nos combustíveis, Chorão afirmou que o novo reajuste de 14% do óleo diesel já superou a redução que seria alcançada pelo teto do tributo estadual. "Ainda há uma defasagem de 9% no preço do diesel praticado pela Petrobras. Então, somente a retirada da PPI é que se resolve a questão dos combustíveis. O fim da PPI junta com o teto do ICMS seria uma ação completa para resolver o problema", disse.

Sobre uma eventual reunião de representantes dos transportadores rodoviários autônomos com o governo que estaria sendo marcada para a próxima segunda-feira (27), comentada ontem pelo presidente Jair Bolsonaro, Chorão disse que as lideranças da categoria não foram chamadas para o encontro. "Até este momento, não recebemos nenhum convite, mas provavelmente ele (Bolsonaro) vai chamar os caminhoneiros que são da base dele, aqueles do 7 de setembro e que nunca participaram de nenhuma reunião para discutir a pauta do segmento. Espero que ele não faça igual o (ex-presidente Michel) Temer que negociou com as pessoas erradas", afirmou. Ontem, Bolsonaro disse que há uma interlocução do governo com os caminhoneiros via Ministério da Infraestrutura e que estão tentando se reunir na próxima segunda-feira.

Contato: isadora.duarte@estadao.com
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Agro e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: