Economia & Mercados
01/12/2017 16:53

Abinee pede transparência na negociação com UE e pede que indústria não seja "moeda de troca"


Brasília, 01/12/2017 - Enquanto negociadores do Mercosul sinalizam otimismo com as negociações para um acordo de livre comércio com a União Europeia, a indústria elétrica reclama do processo de negociação e enviou carta ao governo brasileiro para pedir mais transparência. Apesar de ser favorável ao acordo, a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) pede maior clareza em relação à proposta de acesso a mercados dos europeus.

Em uma carta enviada a vários ministros brasileiros envolvidos na negociação, a entidade diz que os termos do acordo "devem ser de convergência de entendimentos e não de imposição de disciplinas pela União Europeia". A entidade pede que as negociações levem em conta "as características do mercado brasileiro e dos países do Mercosul" e teme que eventual acordo não ofereça "garantias de desenvolvimento para a indústria brasileira".

"A indústria brasileira não pode ser oferecida como moeda de troca para um baixo acesso ao mercado europeu", cita a entidade na carta. Entre os pedidos da indústria elétrica e eletrônica, estão a garantia do uso do mecanismo de drawback - suspensão ou eliminação de impostos sobre insumos importados para utilização em produto exportado e exclusão de produtos remanufaturados dos benefícios tarifários do acordo.

A carta foi enviada aos ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Marcos Pereira (MDIC), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Blairo Maggi (Agricultura), Dyogo Oliveira (Planejamento) e Eliseu Padilha (Casa Civil). (Fernando Nakagawa e Lu Aiko Otta)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos