Economia & Mercados
13/03/2013 14:05

Ministro argentino do Planejamento dá ultimato à Vale


O governo da Argentina elevou o tom nas discussões com a mineradora brasileira Vale, que na última segunda-feira anunciou a suspensão do projeto Potássio Rio Colorado, na província de Mendoza, e sinalizou que a empresa pode perder a concessão do empreendimento. "A empresa violou a segurança jurídica e as leis da Argentina e de Mendoza, em particular, que outorgou a permissão de concessão. E, se não a exploram, vão perdê-la", ameaçou o ministro do Planejamento da Argentina, Julio De Vido, em discurso realizado na Casa Rosada, nesta quarta-feira. De Vido alertou que o governo pode se amparar na lei para adotar sanções contra a Vale. "A segurança jurídica em questão de investimentos é um caminho de dupla via, de ida e volta. O Estado deve cumprir (a legislação), mas as empresas investidoras também devem cumprir", afirmou o ministro, indicando que a província de Mendoza pode rescindir o contrato da Vale. Segundo ele, o governo respeitou a segurança jurídica, enquanto "a mineradora buscava uma cotação de câmbio diferenciada e salvar suas dívidas". De Vido também acusou a empresa de "não cuidar de seu caixa" e de tentar transferir ao Estado "suas milionárias perdas em nível mundial, reivindicando maiores isenções fiscais para continuar com o empreendimento". Segundo o ministro, a Vale estava reclamando benefícios de US$ 3 bilhões, "o mesmo valor de suas perdas internacionais". "Queria nosso dinheiro para pagar a dívida", afirmou De Vido.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos os conteúdos em tempo real.

MAIS NOTÍCIAS

Economia & Mercados
13/03/2013 13:37
Economia & Mercados
13/03/2013 12:57
Economia & Mercados
13/03/2013 12:46
Economia & Mercados
13/03/2013 12:12
Economia & Mercados
13/03/2013 10:54
Economia & Mercados
13/03/2013 09:16
Economia & Mercados
12/03/2013 22:09
Economia & Mercados
12/03/2013 21:22
Economia & Mercados
12/03/2013 21:19

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos