Política
15/05/2019 20:33

Weintraub: Questão do telefonema foi mal-entendido; presidente pode ter trocado contingenciamento por corte


Por Mariana Haubert e Camila Turtelli

Brasília, 15/05/2019 - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro pode ter se confundido com as palavras "corte" e "contingenciamento" ao ter dito a líderes partidários ontem que o governo não iria mais contingenciar recursos das universidades federais. Ele respondeu a um questionamento feito pelo deputado Daniel Coelho (PE), líder do Cidadania na Câmara, que estava no encontro com o presidente.

"Eu posso falar o que eu ouvi, eu não estava lá com os senhores e também não sei o que o presidente falou para vocês. De repente ele pode ter trocado contingenciamento com corte. Acho que o presidente é honesto, conversa com seus parlamentares. Realmente acho que foi um grande mal-entendido", disse Weintraub. O próprio ministro afirmou que ele mesmo já trocou os termos.

No imbróglio sobre o bloqueio de recursos das universidades, Weintraub afirmou que a pasta fazia um contingenciamento e não um corte nos recursos. Hoje, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o contingenciamento significa fazer uma poupança dos recursos atuais.

Coelho, no entanto, criticou o desmentido do governo em relação à uma possível suspensão do bloqueio. Nesta terça, líderes parlamentares que estiveram na reunião com Bolsonaro, relataram que o presidente ligou para o ministro durante o encontro e anunciou a eles que o contingenciamento seria cancelado. A Casa Civil, no entanto, negou a informação e o ministro da pasta, Onyx Lorenzoni, afirmou que os deputados se confundiram ou poderiam querer ganhar algo com a história.

"Estivemos com o presidente ontem e ouvimos quando ele disse que haveria o anúncio de que não haveria mais contingenciamento. A maneira como o ministro Onyx se portou e como o assunto veio à tona, atrapalha por completo. Que nível de confiança temos com o governo se o próprio presidente falou e o ministro disse que houve má interpretação?", questionou.

"Não houve má interpretação. O presidente foi muito claro quando disse que era uma decisão sua. Onyx está se comportando como um grande desarticulador e está prejudicando a reforma da Previdência", completou.

Coelho afirmou ainda que é um erro do governo Bolsonaro fazer uma "guerra ideológica" e a estratégia repete "erros que o PT praticou por 20 anos". "Não dá para fazer jogo de lá contra lado de cá, tiramos o PT porque estávamos cansados", disse.
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos