Política
03/12/2017 12:30

Bolsonaro publica vídeo em que defende privatização com uso de "golden share"


São Paulo, 03/12/2017 - O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) publicou há pouco nas redes sociais um vídeo em que ele discorre sobre suas propostas como candidato à presidência. No vídeo, Bolsonaro diz que discutiu "com amigos da área econômica" o tema das privatizações. Assim como fez em entrevistas recentes, ele voltou a defender a utilização de ações de classe especial, as chamadas "golden share", na alienação de empresas estatais.

"Discuti isso com amigos da área econômica: como você fazer essas privatizações de modo que a China ou qualquer país que seja não seja dono do Brasil", disse Bolsonaro. O deputado defendeu a "golden share" como uma forma de "o Brasil ter oportunidade de decidir nas questões estratégicas". Afirmou ainda, citando a Embraer, que um formato possível de privatização é a venda de ações de forma pulverizada. "Nessa linha, nós podemos partir", disse.

No vídeo, postado no YouTube, foi gravado num formato de entrevista. O jornalista Carlos Campbell aparece fazendo perguntas ao deputado.

Bolsonaro voltou a criticar a presença de capital chinês. "A China não está comprando no Brasil. Está comprando o Brasil". O deputado justificou a preocupação com o interesse chinês em ativos brasileiros alegando que estrangeiros têm o desejo de comprar terras agricultáveis no Brasil e que isso prejudicaria a segurança alimentar no País.

Outro tema abordado no vídeo é a reforma tributária. Bolsonaro afirma que tem discutido o assunto "apesar de não ser minha área de atuação, essa área econômica". O deputado não dá detalhes de sua visão sobre propostas de reforma tributária e apenas afirma que não se pode "penalizar (com elevação de impostos) o setor da sociedade que é responsável por empregar". (Dayanne Sousa - dayanne.sousa@estadao.com)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos