Política
07/11/2018 20:13

Apontado como 'marqueteiro digital' de Bolsonaro é exonerado da equipe de transição


Rio, 07/11/2018 - Dois dias após figurar como um dos 28 nomeados pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para integrar a equipe de transição ao futuro governo, o empresário Marcos Aurélio Carvalho, de 36 anos, já foi exonerado da função, após receber críticas de um dos filhos de Bolsonaro. A exoneração foi confirmada nesta quarta-feira (7) pela equipe do presidente.

Carvalho é um dos donos da agência AM4 Brasil Inteligência Digital Ltda, que recebeu R$ 650 mil da coligação para auxiliar na campanha digital de Bolsonaro. A agência está envolvida no episódio dos disparos de mensagens em massa pelo Whatsapp revelado em outubro pela Folha de S. Paulo. Segundo a denúncia, empresários bancaram ilegalmente o impulsionamento da veiculação de mensagens pelo meio eletrônico. Na ocasião, a AM4 negou irregularidades.

Na segunda-feira (5), a nomeação de Carvalho foi publicada no Diário Oficial da União e o empresário participou, em Brasília, de reunião da equipe de transição com os futuros ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, da Defesa, general Augusto Heleno, e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. Para atuar no grupo de transição em novembro e dezembro, ele receberia R$ 9.926,60 por mês.

Na terça (6) Carvalho concedeu entrevista ao jornal O Globo em que foi chamado de "marqueteiro digital da campanha de Bolsonaro". O tratamento irritou Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente eleito e desde 2014 responsável pela atualização dos perfis do pai nas redes sociais.

Pelo Twitter, Carlos escreveu: "Marketeiro digital?! Tem uma galera que não se cansa de querer aparecer e usando títulos que não refletem em uma linha de verdade! Todo mundo querendo se dar bem de algum jeito!"

Na manhã desta quarta-feira a equipe de Bolsonaro divulgou mensagem informando a exoneração, que teria ocorrido na própria terça. No texto, o sobrenome do empresário estava errado: "Auto intitulado conselheiro e marqueteiro digital de Bolsonaro, função que nunca ocupou, Marcos Aurélio Tavares foi exonerado do gabinete de transição de Bolsonaro no dia seguinte à sua nomeação".

A AM4 foi fundada em 1999 e tem 130 funcionários distribuídos entre a sede, em Barra Mansa (RJ), e filiais em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Campinas. (Fábio Grellet e Roberta Pennafort)
Para ver esta notícia sem o delay assine o Broadcast Político e veja todos os conteúdos em tempo real.

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos