Releases
23/02/2021 15:24

Rio de Janeiro é a 2ª cidade no ranking de consumo de móveis no Brasil, aponta pesquisa


São Paulo (SP)--(DINO - 23 fev, 2021) -
O Rio de Janeiro ocupa a segunda posição no ranking das maiores cidades consumidoras de móveis do Brasil, ficando atrás apenas da capital paulista. O município teve participação de 3,5% no consumo nacional em 2019, com valor estimado de R$ 2,7 bilhões. Os dados fazem parte de um levantamento feito pelo IEMI – Inteligência de Mercado.


No Brasil, o consumo de móveis e colchões alcançou o valor de R$ 90,4 bilhões, em 2019, a preços de varejo, com um gasto médio por domicílio de R$ 1.293 por ano. 


Varejo de móveis


O Rio de Janeiro é o 6º estado brasileiro em número de pontos de venda de móveis e colchões no Brasil. São cerca de 2.943 e uma participação de 6,2% do total nacional.


A maioria das unidades produtoras de móveis prontos no estado está voltada à produção de móveis de madeira, seguida pelos móveis de metal e outros móveis. O RJ concentra 2,9% do total das unidades produtoras de móveis de madeira no Brasil.


No País, existem cerca de 47,3 mil pontos de venda que comercializam produtos do segmento (especializados e não especializados), os quais comercializaram mais de 380 milhões de peças de móveis e colchões, gerando uma receita total estimada em R$ 90,4 bilhões em 2019.


Embora a maior parte dos setores tenha sofrido com os impactos da crise causada pela Covid-19, o varejo do setor moveleiro se recuperou rapidamente. Segundo o IEMI, os resultados dos últimos três meses de 2020 reverteram a tendência de queda inicial e já apontam para um crescimento da ordem de 10,3%, no varejo de móveis e colchões, em volumes de peças comercializadas em relação a 2019.


Para 2021, os resultados preliminares apontam para um crescimento de 3,5% no varejo de móveis e colchões em volume de peças e aumento de 2,8% em valores nominais, quando comparados com 2020. 


Produção de móveis


O Estado é o 7º maior produtor de móveis e colchões do Brasil. Em 2019, sediou 531 unidades produtoras, o que representa 2,9% do total nacional, além de empregar cerca de 7 mil funcionários e ser responsável pela produção de 11 milhões de peças.


Em sua totalidade, o Brasil contou com 18,6 mil unidades produtoras, que empregaram 270,3 mil funcionários, em 2019. No período, foram produzidas 437 milhões de peças de móveis e colchões, o que gerou uma receita nominal de R$ 69,9 bilhões, com crescimento de 4,3% em comparação a 2018.


Ao contrário do varejo, o IEMI estima para 2020 uma queda de 3,4% no volume de peças produzidas pelo setor, enquanto que em valores se espera um crescimento de 1,7% na receita da indústria moveleira frente aos resultados de 2019.


 


 


 



Website: https://www.iemi.com.br/

Copyright © 2021 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos