Releases
02/03/2018 13:27

Saber diferenciar os tipos de fixadores ajuda a solucionar problemas


São Paulo - SP--(DINO - 02 mar, 2018) - Quando abrimos uma máquina ou olhamos determinadas peças de automóveis, nos deparamos com várias peças juntas por parafusos e rebites. Esses itens fazem com que os objetos fiquem fixos e consigam exercer sua função sem que saiam do lugar durante a atividade. Apesar de serem importantes para a estrutura do produto, essas peças são consideradas frágeis, pois com a força aplicada errada ficam frouxos e aumentam as chances de ocorrerem acidentes, por isso é importante saber qual material usar para retirá-los.

Esses elementos são divididos em diversas classificações, as mais genéricas os separam em dois grupos, os itens de fixação móvel e os de fixação permanente. Os móveis permitem ser colocados e retirados sem estragar as peças fixadas e usá-los em outras montagens, um exemplo são os parafusos e as porcas. No caso dos permanentes, os objetos perdem sua utilidade quando são retirados de onde foram instalados como no caso de soldas e rebites.

Dentro dessas duas classificações há os diversos tipos de fixadores, os rebites têm a cabeça fabricada em aço, alumínio ou latão e corpo cilíndrico, como estão no grupo de fixação permanente, não possuem função depois de retirados. No entanto, unem firmemente as peças, por isso são usados em estruturas metálicas como navios, máquinas, caldeiras, aviões, treliças, reservatórios e veículos de transporte. Os modelos de rebites são feitos de forma padronizada para as medidas de corpo e cabeça, os modelos com cabeça redonda, por exemplo, possuem diâmetros de 10 a 36mm e comprimento de 10 a 150mm de largura. Outros modelos são os de cabeça escareada chata longa, escareada chata estreita, escareada com calota, tipo panela e cilíndrica. Há também modelos especiais como o rebite explosivo, que contém uma carga explosiva dentro do corpo e explodem quando é acionado por um dispositivo elétrico.

Outros tipos de fixadores menos conhecidos como a cavilha e o pino são usados em grande parte dos casos em máquinas. Os pinos são instalados em peças que articulam entre si; as cavilhas são úteis para materiais fixos e os entalhes no corpo impedem que o conjunto unido se mova.

Os parafusos são os mais usados e sem dúvida é, dentre todos os tipos de fixadores, o mais conhecido. A maioria dos produtos hoje em dia possui algum tipo de parafuso em sua montagem e diferente do rebite, são itens de fixação móvel. A composição é feita de um corpo cilíndrico, com roscas ou não. As cabeças, por sua vez, são feitas em formatos variados. É importante saber as nomenclaturas desses produtos para que seja encontrada uma solução quando algum acidente ocorre. A Garra Fixação , empresa especializada em fixadores , comenta a importância disso "Se a pessoa tem um entendimento adequado sobre parafusos e rebites, saberá como retirar ou instalar o objeto sem complicações".


Website: http://www.garrafixacao.com.br/index.php

Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Inscreva-se!
Receba no seu email newsletters e informações sobre nossos produtos