Releases
01/07/2019 17:39

Dica de especialista: como harmonizar vinhos e proteínas


Brasília--(DINO - 01 jul, 2019) -
De acordo com dados de uma pesquisa realizada pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho, o Brasil está entre os 20 que mais consomem vinhos. O país também ocupa uma das posições de grandes produtores do vinho, com 340 milhões de litros fabricados atualmente.


Com o consumo crescente da bebida, a harmonização entre vinhos e alimentos vem mudando completamente a experiência de comer. A bebida pode acompanhar desde os pratos de entrada até a sobremesa, mas costumam estar presentes na hora dos pratos principais. Para cada tipo de proteína, existe uma combinação ideal que acentua os sabores dos pratos e, ao mesmo tempo, valoriza a bebida.


Especialista no universo dos vinhos, a sommelier Ana Clara Carvalho, responsável pela adega do restaurante brasiliense ‘A Mano, explica que a harmonização muda muito de acordo com a proteína, mas que uma das regras é harmonizar com o peso. “O peso do vinho harmoniza com o peso do prato. Por exemplo, para peixes, que são carnes mais leves, recomendamos vinhos mais leves.”


Dicas da sommelier para cada tipo de proteína:


Peixe: o ideal são vinhos mais leves, de preferência brancos. Os vinhos brancos não têm o tanino, que dá um gosto metálico junto com a proteína do peixe. Então os vinhos mais indicados para harmonizar com o peixe são os brancos mais leves, frutados, tão aromáticos quanto os pratos. Mas, também é possível harmonizar com tintos de uvas mais leves, como pinot noir.


Frango: os vinhos brancos também são os mais recomendados para harmonizar com o frango. Nesse caso, as bebidas com um pouco mais de sabor podem ser a combinação perfeita, como os vinhos de uva chardonnay. Também é possível combinar com tintos de leve a médio corpo.


Porco: por ser uma carne com mais sabor, ele permite a combinação tanto com vinhos brancos, quanto com tintos mais leves. A depender do preparo do prato, são indicados tintos de pinot noir, nebbiolo e merlot.


Carne: a harmonização depende muito do preparo e do peso. No caso de carnes com sabor mais concentrado, é possível escolher um vinho com mais tanino, visto que ele seca a boca e o suco da carne molha novamente, propiciando um casamento perfeito entre os dois. Os pratos mais perfumados ou com molho, pedem vinhos mais perfumados também.


Queijo: como é um alimento gorduroso, o queijo precisa de um vinho com bastante acidez para contrastar, como os sauvignon blanc. Outra opção é o branco português. Mas, sempre vinhos com mais frescor.


 



Website: https://www.instagram.com/amanorestaurante/

Copyright © 2022 - Todos os direitos reservados para o Grupo Estado.

As notícias e cotações deste site possuem delay de 15 minutos.
Termos de uso
Siga nossas redes: